Garotinho Chico supera a Covid-19 e aumenta a fama de herói mirim

Os 127 mil seguidores no perfil no Instagram não deixam dúvidas: Francisco Guedes Bombini, o Super Chico, 3, é um menino popular. A fama aumentou nessa última quarta-feira (22), quando a criança protagonizou uma cena emocionante em um hospital particular de Bauru (329,9 km de São Paulo).

Chico teve alta da UTI e foi transferido para a enfermaria pediátrica após 14 dias de internação por causa da Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

“Chico venceu a Covid”, anunciou a mãe, a advogada Daniela Guedes Bombini. “Estamos muito felizes. E ele parece que entende e ja até voltou a ser um leão, está soltando seus gritinhos, porque sente, certamente, tudo o que esta acontecendo”.

Na saída da UTI, o menino foi aplaudido por profissionais do hospital e parecia olhar para tudo com curiosidade. Nas redes sociais, milhares de pessoas curtiram, comentaram e compartilharam a cena registrada em vídeo. “Xô, Covid”, escreveu a mãe.

Os motivos para a comemoração ser tão marcante são as condições especiais da criança. Chico tem síndrome de Down, disfunção renal grave, cardiopatia, hipotireoidismo e uma displasia pulmonar provocada por três meses de entubação -após o nascimento, ele morou no hospital durante seis meses e passou por sete cirurgias.

Ao longo dos três anos de vida, voltou para algumas internações por problemas diversos. Nada tão grave como a Covid-19 que, em Chico, se manifestou por meio de dores no corpo. Ele ficou isolado na UTI acompanhado da mãe e agora está na enfermaria para completar a recuperação.

A saúde frágil da criança, a força que demonstra ao resistir a tantas dificuldades e a mobilização da família e dos amigos fizeram de Chico uma celebridade. Nas redes sociais, ele e a mãe recebem recados do país todo e até do exterior desde os primeiros meses de vida, quando ela começou a vesti-lo como super-herói.

Daniela, quase sempre sorridente, publica vídeos e fotos de cada superação do filho e recebe em troca milhares de recados positivos. Em alguns dos vídeos, inclusive os gravados na UTI, ele aparece rindo ao interagir com as irmãs mais velhas -virtualmente, no período de internação.

Desde que voltou para casa, após os seis meses morando no hospital, Chico é acompanhado por enfermeiros o tempo todo e faz fisioterapia e fonoaudiologia, além de receber visitas do pediatra que o atende.

Os aniversários da criança são comemorados em festas beneficentes, com a renda de barraquinhas destinadas a entidades sociais de Bauru. No primeiro ano de vida, Chico foi internado um dia antes da comemoração. Ao lado dele, a mãe acompanhou o evento por videoconferência.

Desde o início da pandemia, Bauru registrou 3.204 casos de Covid-19. Desse total, 36 eram de crianças entre zero e nove anos de idade. A cidade já teve 60 mortes causadas pela doença.

Fonte: Agencia Brasil