Mais de 100 presos já foram diagnosticados com covid-19 na Bahia

Em 5 meses de pandemia do novo coronavírus, 106 presidiários já foram diagnosticados com a covid-19 na Bahia. Essa quantidade está dentro de um universo de quase 13 mil detentos, segundo a Secretaria da Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap). Até esta quinta-feira (30), nenhum detento ou detenta tinha morrido por conta da doença. 

Dos doentes, 79 estão recuperados e os outros possuem sintomas leves. Nove das 26 unidades prisionais ativas possuem casos de presos infectados. Entre os servidores, 428 foram contaminados e já são mais de 354 recuperados.

Segundo a pasta, a Bahia ficou mais de 9 semanas sem nenhum caso de coronavírus entre servidores e internos. Além do atendimento diário por parte da equipe médica, a Seap criou 2 unidades Hospital de Campanha com mais de 300 vagas para recuperar os casos confirmados do coronavírus do sistema prisional.

No estado, todos os presos oriundos das delegacias passam por uma quarentena e por uma série de exames antes de realmente adentrarem o sistema prisional. Os que apresentam sintomas respiratórios são isolados dos demais e passam a ter acompanhamento médico diário. 

A Seap mantém às medidas de isolamento manutenção das medidas anteriormente adotadas, a exemplo da suspensão das visitas presenciais de familiares e amigos aos presos. Entretanto, para suprir a falta desse contato familiar e social com os presos, as unidades estão promovendo outras formas de socialização através de vídeo visita, chamada de áudio e carta. 

A suspensão das visitas é reanalisada há cada 15 dias por um Comitê Interinstitucional e irá perdurar enquanto for necessário à proteção dos internos. A pasta ressalta que familiares não precisam se preocupar com a alimentação e medicação dos presos pois isso é função do Estado e tem sido bem executada.

Plano de Contingência
A Seap ainda desenvolveu o Plano de Contingência para o Enfrentamento de Emergência da Covid-19 no Sistema Penitenciário Da Bahia. O plano visa orientar servidores prisionais, e todos os demais profissionais envolvidos com as Unidades Prisionais, sobre as medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública no Sistema Penitenciário da Bahia.

O conteúdo é revisado pelo Grupo de Trabalho do Núcleo de Coordenação e Controle Operacional à medida que novos conhecimentos sejam adquiridos quanto a evolução da pandemia.

Além disso, o Comitê Interinstitucional já designou medidas como: a instalação de barreiras sanitárias em todas as Unidades Prisionais do Estado da Bahia; a suspensão das visitas presenciais; compra de EPI’s para todos os servidores e capacitação deles para o melhor desempenho frente as ações de enfrentamento da covid-19 e produção interna de máscaras.

Fonte: Correio