Funcionários da Petrobras se reuniram em frente à empresa, no Itaigara, em Salvador, para fazer uma vigília na manhã desta sexta-feira (31). A ação foi a primeira de uma série que acontecerá em 13 cidades baianas. Segundo os organizadores, o objetivo é chamar a atenção da sociedade para a importância da estatal para a garantia do crescimento econômico, comercial e industrial do estado.

O Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro Bahia) informou que a vigília itinerante começou em Salvador, mas que será realizada também no interior do estado, nos próximos dias, em municípios com unidades que fazem parte do Sistema Petrobrás (confira a programação completa abaixo).

Manifestação aconteceu em frente a empresa, no bairro do Itaigara (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Em Salvador, o grupo se concentrou em frente ao edifício Torre Pituba, no Itaigara, a partir das 8h. Eles tentaram respeitar as medidas de distanciamento social, e distribuíram máscaras de tecido e álcool em gel para os manifestantes. A próxima manifestação será em Itabuna, na segunda-feira (3). Em cada um dos municípios será feita uma vigília em frente à unidade da estatal e uma manifestação no centro da cidade.

Em nota, os dirigentes explicaram que a vigília é uma reação da categoria petroleira ao que chamaram de “desmonte e privatização predatória e irresponsável da empresa”, e que foi implementado em ritmo acelerado pelo governo federal. Eles afirmam que a Bahia é um dos estados mais afetados por essa política.

“Apenas na gestão de Castello Branco, 16 unidades, entre campos de águas profundas, de águas rasas, terrestres, refinarias e subsidiárias foram vendidos. De acordo com estudo elaborado pelo DIEESE, com base nas informações divulgadas ao mercado pela Petrobrás, 34 ativos – 31 no Brasil e 3 no exterior –  estão na fase mais avançada de venda (vinculante). Na fase inicial (teaser e não vinculante) a soma é de 15 ativos”, diz a nota.

Trabalhadores disseram que estão preocupados com o futuro da empresa (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Ainda de acordo com a categoria, uma das unidades postas à venda é a Refinaria Landulpho Alves, que pode ser adquirida por um conglomerado internacional dos Emirados Árabes, o Mubadala Investment Company. Os petroleiros acreditam que essa negociação trará perdas para o estado, e afirmaram que pesquisas apontam que a maior parte da população é contra a privatização da Petrobrás.  

No começo de julho, a empresa divulgou que os Programas de Desligamentos Voluntários (PDVs) e de Aposentadoria Incentivada (PAI) da Petrobras recebeu as inscrições de 10.082 trabalhadores, o que representaria 22% do atual quadro de funcionários em todo o Brasil.

Ônibus que vai circular pelas cidades onde haverá vigília (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Veja o calendário da Vigília:

3 de agosto (segunda) – Itabuna – Osub

4 de agosto (terça) – Jequié – Transpetro

5 de agosto (quarta) – Candeias – OP-Can e Petrobrás Biodiesel

6 de agosto (quinta) – São Francisco do Conde – Rlam

7 de agosto (sexta) – Madre de Deus -Temadre

10 de agosto (segunda) – São Sebastião do Passé – Taquipe

11 de agosto (terça) – Catu – Santiago

12 de agosto (quarta) – Mata de São João

13 de agosto (quinta) – Camaçari – Fafen

14 de agosto (sexta) – Alagoinhas – Buracica

17 de agosto (segunda) – Entre Rios – Bálsamo

18 de agosto (terça) – Araças – Unidade de Araças

19 de agosto (quarta) – São Francisco do Conde – Refinaria Landulpho Alves (Rlam).

Fonte: Correio