Largo do Mares ganha pia pública para população em situação de rua

Um refoço na luta contra o coronavírus já entrou em ação no Largo dos Mares, em Salvador. No local, foi instalada uma pia pública para ser usada por pessoas em situação de rua e que vivem nos Mares: a pia foi colocada ao lado do contêiner da Unidade de Apoio na Rua (UAR). A ação vai possibilitar a higienização das mãos – hábito imprescindível para a prevenção contra a covid-19.  

A iniciativa é do Programa Corra pro Abraço, que faz parte da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), em parceria com a Residência RAU+E/Ufba, um Curso de Especialização e Assistência Técnica em Habitação e Direito à Cidade, da Faculdade de Arquitetura da Ufba.

A iniciativa ainda prevê a instalação de uma outra pia próximo à sede do programa, na Ladeira da Independência, no bairro de Nazaré. A parceria é fruto de uma articulação do coletivo Mouraria 53. 

“Essa é uma população extremamente vulnerável. Para eles, atos que parecem simples, como a lavagem das mãos, podem ser um complicador quando não se tem acesso a água e sabão, aliados fundamentais para prevenir a contaminação.  Através do Corra Pro Abraço, estamos fazendo um trabalho intenso  de enfrentamento ao coronavírus e a instalação das pias chega para reforçar essa luta. Com ajuda de parceiros vamos ampliando as nossas ações e atendendo as pessoas que mais precisam”, explicou Carlos Martins, secretário da SJDHDS. 

Segundo Iago Lobo, psicólogo e redutor de danos, responsável pela articulação da parceria entre o Corra pro Abraço e a RAU+E/Ufba, os dois pontos foram definidos pela equipe do Corra. “São territórios estratégicos do ponto de vista do acesso da população em situação de rua e de extrema vulnerabilidade social que vive nestas regiões”, disse. “Também porque poderemos acompanhar mais de perto a utilização, garantindo a manutenção, a partir de nossa presença na sede do programa e na UAR”, explicou ele.

As pias públicas, denominadas Pontos Comunitários de Higienização, foram pensadas a partir de movimento Mobiliza RAU+E/Ufba – uma iniciativa dos e das estudantes matriculadas na Residência, com o objetivo de pensar ações de solidariedade às populações vulneráveis durante o período da pandemia. O movimento, além de desenvolver o projeto das pias, também vem articulando doações e apoios para territórios vulnerabilizados.

“O desenho do ponto comunitário de higienização passou por vários protótipos até chegarmos nos dois modelos que estamos trabalhando. Foi fruto de um trabalho coletivo e engajado, com protagonismo dos estudantes de Arquitetura da Ufba”, relatou o arquiteto Rodrigo Machado, colaborador da RAU+E/Ufba e um dos responsáveis pelo dos pontos comunitários de higienização.

Os dois protótipos do ponto comunitário de higienização são feitos a partir de materiais simples, como uma estrutura básica de madeira, um suporte para reservatório de água, uma bomba e uma pia. Um sistema de pedais são propostos para que as pessoas não precisem utilizar as mãos para acionar tanto a água quanto o sabão.

A montagem das pias foi realizada pelo marceneiro Jonas Ximenes, a partir de uma parceria com o coletivo Mouraria 53. Os materiais para a montagem da pia foram comprados com valores arrecadados pela campanha #CorraParaAPrevenção, que compreende um conjunto de ações emergenciais de prevenção e proteção das populações vulneráveis, no contexto da pandemia da covid-19.

Fonte: Correio