A postura do Bahia nos dois jogos da decisão da Copa do Nordeste passou longe do esperado. Pouco criativo, o tricolor apresentou dificuldades e acabou derrotado nas duas partidas da decisão.

Na análise do técnico Roger Machado, o Ceará conseguiu levar vantagem sobre o tricolor nos erros cometidos pelo Esquadrão. Roger afirma, no entanto, que apesar do placar elástico – 4×1 no agregado dos dois jogos -, o alvinegro não foi tão superior ao Bahia.

“Uma final de campeonato com dois clubes de Série A que chegaram com méritos nas suas campanhas. Perder uma final nunca é bom, ainda mais para um adversário do mesmo nível. Evidente que no placar agregado pareceu haver uma superioridade, mas foram dois jogos decisivos, que prevaleceu quem errou menos e, merecidamente, o adversário se tornou campeão”, analisou Roger.

Questionado sobre o fraco desempenho do Bahia na partida desta terça-feira (4), quando voltou a ser derrotado, dessa vez por 1×0, Roger disse que o time tentou de todas as formas passar pela marcação e fazer os gols que precisava, mas o Ceará conseguiu fazer valer a vantagem construída no jogo de ida, quando ganhou por 3×1 em Pituaçu. 

Mesmo criando poucas chances durante o duelo, na visão do treinador tricolor a equipe não fez um jogo previsível. “Não vi o nosso time previsível, vi um time parando numa defesa fechada. Previsibilidade em nenhum momento mostramos. Tentamos entrar de todas as formas, por dentro, pelos lados, com chutes de fora, porém a defesa do Ceará bem postada, com a vantagem do primeiro jogo, prevaleceu ao nosso ataque”, afirmou.

Roger Machado não vai ter muito tempo para assimilar a derrota e consequente perda do título da Copa do Nordeste. Hoje, a partir das 21h30, ele volta a comandar o Bahia no primeiro jogo da final do Campeonato Baiano, em Pituaçu, contra o Atlético de Alagoinhas. O jogo de volta está marcado para sábado, às 16h30, no mesmo estádio. O Bahia busca o tricampeonato da competição estadual.

Fonte: Correio