O Governo do Paraná anunciou que vai assinar ainda nesta quarta-feira (12) um acordo com a estatal russa para produzir a vacina Sputnik V. O convênio prevê que o Estado poderá fazer testes, produzir e distribuir a vacina. As duas partes vinham negociando a proposta desde junho.

O acordo deverá ser assinado às 14h desta quarta pelo governador do Estado, Ratinho Júnior (PSD), e o embaixador da Rússia. Segundo o governo, após o convênio ser firmado, haverá o compartilhamento do protocolo russo com a Anvisa, para que a agência libere todas as etapas.

Primeira vacina do mundo

Na manhã desta terça-feira (11), o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou que o país desenvolveu a primeira vacina contra o coronavírus, que provoca uma “imunidade duradoura”.

“Esta manhã, pela primeira vez no mundo, foi registrada uma vacina contra o novo coronavírus”, disse Putin. “Sei que é bastante eficaz, que dá uma imunidade duradoura”, completou.

Nas semanas prévias ao anúncio, cientistas estrangeiros expressaram preocupação com a rapidez da criação de uma vacina desse tipo, enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu respeito às diretrizes estabelecidas e que a Rússia seguisse “todos os estágios necessários para desenvolver uma vacina segura.

Putin afirmou inclusive, que uma de suas filhas recebeu a vacina.

A vacina será distribuída em 1º de janeiro de 2021, de acordo com o registro nacional de medicamentos do Ministério da Saúde, consultado pelas agências de notícias russas.

Tratativas com o Paraná

No final de julho,  o governo paranaense informou que a cooperação técnica com a Rússia estava em andamento. O possível acordo foi tratado em uma reunião, em Brasília, entre o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov.

 

Fonte: Agencia Brasil