China descarta restrições às importações do Brasil após caso de covid-19 em frangos

Após a China anunciar que detectou covid-19 em asas de frango congeladas com origem brasileira, a Embaixada do país asiático no Brasil afirmou nesta quinta-feira (13) que “por enquanto, não há novas restrições para a importação brasileira”.

“Recentemente, o MAPA (Ministério da Agricultura) tem mantido comunicações frequentes e produtivas com a GACC (alfândega chinesa) para trocar informações e criar mecanismos com vistas a minimizar os riscos de contaminação por vírus no comércio agro-pecuário sino-brasileiro”, afirma, em nota, a representação diplomática.

Segundo o documento, China e Brasil estão trabalhando em conjunto para “melhor identificar onde e como ocorreu a contaminação”. “Através de colaboração e entendimento mútuo, os eventuais impactos sobre o comércio bilateral serão gerenciados e controlados de forma objetiva e científica”, explica a embaixada.

Desde junho, a China suspendeu a autorização de exportação de cinco frigoríficos brasileiros enquanto outras duas empresas suspenderam os embarques por conta própria. No momento, seis unidades encontram-se com as exportações vetadas pela China.

Principal parceiro comercial do Brasil, a China é o maior importador da carne de frango brasileira, respondendo por 17% dos embarques no primeiro semestre deste ano.

No total, o Brasil enviou 346 mil toneladas de carne de frango ao país de janeiro a junho de 2020. O volume representa crescimento de 31,6% ante o registrado em igual período de 2019, quando a China respondeu por 12,9% do total exportado pelo Brasil.

Fonte: Correio