Depoimento de Frei Tito sobre tortura é tema de live

Promovida pelo Instituto Martim Gonçalves, a live Arquivo-Vivo tem como objetivo colocar “um documento histórico” no centro da conversa. Na edição desta sexta-feira (14), às 16h, o bate-papo, que acontece no  Instagram https://www.instagram.com/martimandcompany/)  e é comandado pela pesquisadora e professora Jussilene Santana, será com a filósofa e escritora Márcia Tiburi, a partir do autodepoimento de Frei Tito sobre sua tortura, em 1970.

O convidado da live escolhe a fonte primária (documento, foto, ata, objeto…), que pauta o debate. Nesse documento, Frei Tito relata as técnicas e procedimentos utilizados pelos torturadores e reflete sobre a pulsão de um humano infligir, de forma consciente, dor a um semelhante. Preservado, o depoimento correu o mundo e hoje é considerado um dos registros  mais pungentes pela luta para a liberdade de expressão e pelo registro da mesma.

O Instituto Martim Gonçalves trabalha em conjunto e recebe o apoio do Grupo de Pesquisa – História do Teatro Brasileiro, do PPGAC/UNIRIO. Através de viagens por dez países, foram reunidos um acervo de 30 mil documentos sobre história do teatro e sobre cultura brasileira, organizados há três anos na instituição.  O acervo está disponível no https://institutomartimgoncalves.com.br/

Fonte: Correio