'Inaceitável' e 'lamentável': o que o Barça diz sobre o 8×2

O Barcelona levou um vexame histórico nessa sexta-feira (14), ao perder de 8×2 para o Bayern de Munique, nas quartas de final da Liga dos Campeões. Após o massacre em campo, o zagueiro Gerard Piqué, um dos jogadores mais experientes do clube catalão, se ofereceu para deixar a equipe, se uma reformulação for considerada necessária.

“Temos que todos refletir, o clube precisa de mudanças em todos os sentidos. Ninguém é indispensável, se tiver que sair, se tiver que mudar, sou o primeiro a deixar o clube, porque acredito que agora estamos no fundo. Temos que refletir internamente”, comentou Piqué.

O zagueiro também categorizou o duelo como “horrível” e disse acreditar que esse é o fim de um ciclo para o time.

“O Barça tem que sempre estar no topo e essa é uma realidade dura. Chegamos ao ponto em que não dá mais. Hoje foi algo inaceitável para o clube”, falou.

Técnico da equipe catalã, Quique Setién também comentou sobre o duelo. Mas o treinador afirmou que o placar não refletiu o que os times produziram em campo.

“Entendo que a diferença hoje foi abismal, mas não acredito que seja tanta como refletiu o marcador. Temos que refletir profundamente sobre essa partida, sobre a situação. Ficou claro que hoje não podemos competir com um rival que deu tudo”, disse Setién.

Em meio a rumores de sua saída, o técnico desconversou. “O meu futuro não é o mais importante. O importante é que o Barcelona se recupere e chegue a algumas conclusões sobre o que aconteceu hoje e seu futuro”.

O presidente do Barça, Josep Maria Bartomeu, por sua vez, pediu desculpas aos sócios e torcedores do time.

“Foi um desastre. Não é a equipe e a imagem que queremos passar como clube, foi lamentável”.

Bartomeu, assim como Piqué, confirmou que mudanças serão necessárias. “Precisamos de alguns dias para anunciá-las, mas vão acontecer”. Porém, assim como Setién, ele desconversou se haverá demissão do técnico.

“Não é um dia para anunciar decisões, e sim lamentar. Temos que sofrer hoje, mas amanhã precisamos levantar o ânimo e anunciar algumas decisões. Não tive tempo de ir para o vestiário — hoje é momento dos jogadores que sofreram muito no campo”, continuou o presidente do Barcelona.

Fonte: Correio