Elevador Lacerda volta a funcionar, mas está diferente

Depois de passar cinco meses fechado por conta da pandemia o Elevador Lacerda voltou a funcionar nesta terça-feira (18), mas está com novidades. O equipamento que faz a ligação entre o bairro do Comércio e a Praça Municipal é um dos símbolos da cidade e despensa apresentações, mas não está exatamente igual ao que era antes da quarentena. Uma das principais mudanças é que, agora, ele está climatizado.

Reabertura aconteceu cinco meses após o fechamento (Foto: Arisson Marinho CORREIO)

Ar condicionado nos corredores era um dos pedidos mais frequentes dos usuários e que finalmente foi atendido. A vendedora Raquel Anunciação, 28 anos, usava o Elevador com frequência para ir e para voltar do trabalho. Ela ficou contente com a mudança e mais feliz ainda ao saber que o preço da tarifa vai permanecer igual, R$ 0,15.

“Ele é muito abafado. Dentro das cabines tem ventilação e é mais tranquilo, até porque o tempo que a gente passa lá dentro é muito curto, mas esperar na fila é uma tortura. É quente e abafado. Eu começo logo a suar”, contou a trabalhadora da Avenida Sete de Setembro que ainda não se acostumou a usar o verbo no passado.

A Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) aproveitou que o Elevador entrou em quarentena, em março, para fazer algumas reformas. Ele foi pintado, a fiação foi trocada, e a iluminação substituída. Por conta da pandemia, existem outras mudanças. Antes de entrar no monumento é preciso medir a temperatura, por isso, servidores municipais equipados com termômetros portáteis fazem esse trabalho.

Piso das cabines foi marcado para manter distanciamento (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

A fila vai respeitar a distância de 1,5 metro entre os usuários, e todos terão que usar máscaras e higienizar as mãos. Dentro das cabines, os ascensoristas foram separados do público por uma barreira física de acrílico, e no piso de cada um dos quatro elevadores há sinalizadores de onde as pessoas devem se posicionar para manter o distanciamento. O prefeito ACM Neto realizou a reabertura do local e seguiu as recomendações.

“Tivemos que fechar o Elevador logo que começou a pandemia. Agora que as coisas estão voltando ao normal, nós estamos devolvendo o Elevador em funcionamento pleno, com essa novidade. Ele está inteiramente climatizado, o que era uma expectativa muito grande das pessoas, então, ele foi modernizado e climatizado. Acabou o calor”, brincou.

O horário de funcionamento foi reduzido. O Elevador Lacerda vai funcionar de segunda à sexta-feira, das 7h às 17h30, e aos sábados, das 8h às 17h. Aos domingos ele não vai operar. O local foi desinfectado e todos os funcionários fizeram testes para covid-19. O titular da Semob, Fábio Mota, contou que a capacidade também foi reduzida.

“Vamos trabalhar com 30%, ou seja, serão permitidas até seis pessoas por cabine”, disse, e completou “o problema do calor era uma queixa muito grande no andar de baixo porque ele não tem corrente de ar, mas agora está resolvido. Nós vamos trabalhar para fazer a climatização também do andar de cima até o final do ano”, contou.

Marcas no piso sinalizam o distanciamento na fila (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

O município investiu R$ 250 mil na climatização e mais R$ 200 mil na reforma da estrutura do prédio. O Elevador Lacerda foi um dos primeiros elevadores urbanos do mundo. Ele foi construído pelo engenheiro Augusto Frederico de Lacerda, e inaugurado em 1873. A arquitetura atual é de 1930 e tem 72 metros de altura. Antes da pandemia, todos os dias ele transportava 17 mil pessoas, entre baianos e turistas.

Servidor mede a temperatura de usuário antes dele entrar no monumento (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Elevador Lacerda

Quando: voltou a funcionar nesta terça-feira (18);

Horário: segunda à sexta, das 7h às 17h30, e aos sábados, das 8h às 17h;

Mudanças: prédio foi reformado e está climatizado;

Capacidade: reduzida para 30% ou seis pessoas por cabine;

Pandemia: medição de temperatura, higienização das mãos, distanciamento nas filas e uso de máscara são obrigatórios;

Fonte: Correio