Bahia perde pênalti, é castigado no fim e empata com o São Paulo

A noite que começou feliz terminou com um balde água fria para o Bahia. Diante do São Paulo, nesta quinta-feira (20), no Morumbi, o Esquadrão ia conquistando a terceira vitória seguida em seu terceiro jogo no Brasileirão até os 39 minutos do segundo tempo, quando levou o empate. Ficou no 1×1 e viu escorrer a chance de manter os 100% na competição.

Os gols da partida foram marcados por Rossi, aos 20 minutos do primeiro tempo, e Luciano, que igualou para os paulistas na segunda etapa. Foi a estreia do atacante no São Paulo, que o envolveu em troca com o meia Everton, cedido ao Grêmio.

O resultado deixa o Bahia na quarta colocação, com sete pontos e um jogo a menos no Campeonato Brasileiro. O próximo adversário do tricolor é o Ceará, domingo (23), no Castelão, em Fortaleza.

Jogo controlado
Na tentativa de embalar o terceiro triunfo consecutivo no Brasileirão, Roger Machado promoveu mudanças nas duas laterais. João Pedro e Zeca começaram entre os titulares.

Os primeiros 15 minutos foram de domínio do São Paulo. Com marcação alta, o time de Fernando Diniz tentava pressionar a saída de bola do Bahia.

Logo aos quatro minutos, a defesa tricolor se atrapalhou e bola ia sobrando livre para Pablo dentro da área, mas o atacante chegou desequilibrado e perdeu boa chance de abrir o placar.

Depois disso, o Bahia começou a mostrar o seu jogo. Controlando o duelo, o Esquadrão esperava o momento certo para aproveitar os espaços dado pelo São Paulo e puxar o contra-ataque.

A chance veio aos 12 minutos, quando Rodriguinho descolou bom lançamento para Gilberto. O atacante disputou com Arboleda e a bola voltou para o próprio Rodriguinho. O meia invadiu a área e finalizou, mas foi derrubado por Igor Vinícius.

O árbitro de vídeo entrou em ação e confirmou o pênalti para o Bahia. Gilberto foi para cobrança, mas Tiago Volpi fez a defesa. Para alívio do camisa 9, o Bahia não demorou muito para balançar redes.

Aos 20 minutos, Rodriguinho conseguiu outro belo lançamento. Dessa vez foi Rossi quem invadiu a área e bateu de chapa, sem chance para Volpi, abrindo o placar para o Esquadrão.

Depois do gol, o Bahia seguiu no mesmo ritmo, tentando explorar as brechas dadas pela equipe paulista. Apesar de ter mais posse de bola, o São Paulo praticamente não levou perigo ao goleiro Douglas.

Banho de água fria 
A tônica do primeiro tempo seguiu a mesma nos primeiros minutos da segunda etapa. Diante de um São Paulo com mais posse de bola, mas desorganizado e que não conseguia criar as jogadas na frente, o Bahia tentava desenhar as descidas em velocidade.

O segundo gol Esquadrão quase saiu aos 10 minutos. Depois de receber o lançamento, Gilberto ganhou da marcação e bateu forte, mas Tiago Volpi fez boa defesa.

O São Paulo conseguiu responder em chute forte de Reinaldo de fora da área que Douglas mandou para escanteio.

Aos 22 minutos, Roger foi forçado a mexer no time. Douglas sentiu a coxa e foi substituído por Anderson. Antes, Daniel havia entrado na vaga de Rodriguinho.

Quem teve a chance mesmo de matar o jogo foi Élber. O camisa 7 roubou a bola no meio-campo, passou por Arboleda e tentou de cavadinha, mas Tiago Volpi fez a defesa. O rebote voltou para Élber, mas Igor Vinícius conseguiu cortar e salvou o São Paulo.

Nos minutos finais, a partida ficou aberta. Enquanto o São Paulo pressionava na frente, o Bahia tentava controlar a partida. Mas foi o time paulista que conseguiu chegar ao gol. 

Aos 40 minutos, Luciano aproveitou o cruzamento da esquerda e de cabeça tocou para o fundo das redes, aos 40 minutos do segundo tempo. Banho de água fria no Bahia. 

Apesar dos sete minutos de acréscimos dado pela arbitragem, o Bahia não conseguiu alterar o marcador e deixou o campo com o sabor amargo de ter levado o empate no fim. 

Fonte: Correio