Médica que caiu do 5º andar acorda: 'Comprometeu memória recente'

A médica  Sáttia Lorena Aleixo, que caiu do quinto andar de um prédio em Armação, acordou e está consciente, segundo informou nesta quinta-feira (20) a delegada Bianca Torres, titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam/Brotas) ,que investiga o caso. Hoje, completa-se um mês desde que o fato ocorreu. O namorado de Sáttia, o também médico Rodolfo Cordeiro Lucas, chegou a ser preso como suspeito por causar a queda dela, mas está em liberdade.

A delegada contou que já ouviu Sáttia, mas que ela está com problemas na memória. “A vítima acordou, está consciente, mas em decorrência do trauma que ela sofreu, comprometeu a memória recente dela”, explica a delegada.

O inquérito ainda não foi concluído e a delegada pediu uma prorrogação, explicando se tratar de “um caso complexo”. Além disso, ela ainda aguarda laudos que serão feitos pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) a seu pedido. “Aguardando laudo do local do crime, o apartamento, e também dos aparelhos celulares. Quando concluirmos, iremos encaminhar ao poder judiciário”, diz.

Relembre
Sáttia caiu do 5º andar do prédio Serra Mar, em Armação, onde morava, na madrugada do dia 20 de julho, uma segunda-feira. Segundo testemunhas, ela pediu para que não a deixassem morrer. “Ela disse ao porteiro: ‘Por favor, não me deixe morrer’. Ele foi a primeira pessoa que falou com ela”, contou o síndico do prédio ao CORREIO, dois dias após a queda.

O porteiro, que teve o nome preservado, fora acionado por moradores da Torre Pacífico – o condomínio tem dois edifícios – por causa de uma briga de casal no 5º andar do Serra Mar. Ele foi até à unidade, mas não teve êxito e retornou ao posto de trabalho. Segundo os relatos, foi nesse momento que ele viu Sáttia pendurada do lado de fora do apartamento.

Ela não conseguiu se segurar e caiu. A médica estava consciente até a chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi nesse momento que pediu ao porteiro para não deixá-la morrer. Ela foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE) e permanece internada.

A polícia suspeita que a queda não tenha sido acidental e o namorado da médica está sendo investigado. Rodolfo Cordeiro Lucas também é médico e foi preso, mas teve a prisão revogada sete dias após a queda por decisão do juiz Vilebaldo José de Freitas Pereira. Rodolfo nega e afirma que Sáttia pulou sozinha.

Na decisão, o magistrado aponta para a inexistência de provas materiais e indícios que comprovem que Rodolfo jogou a namorada da janela.  Além disso, o juiz também aponta que Rodolfo não possui ficha criminal, não tem aparente intenção de fugir e que pode ser facilmente localizado em caso de alguma necessidade.

Fonte: Correio