Steve Bannon, ex-estrategista-chefe de Trump, é preso por acusação de fraude

Ex-estrategista-chefe da Casa Branca de Donald Trump, Steve Bannon, foi preso nesta quinta-feira (20) indiciado pelo crime de conspiração para cometer fraude. Bannon é acusado de levantar dinheiro para uma campanha de apoio à construção do muro na fronteira entre EUA e México, mas teria usado o valor para outros fins, diz o Departamento de Justiça.

Três pessoas acusadas de serem cúmplices no caso também foram presas – foram identificadas como Brian Kolfage, Andrew Badolato e Timothy Shea. Os fundos da campanha teriam sido usados de forma inconcistente com o de uma representação pública.

Batizada de “We Built That Wall” (nós construímos o muro, em traudção livre), a campanha arrecadou 25 milhões de dólares (cerca de R$ 142 milhões), com centenas de milhares de pessoas doando. AO menos 1 milhão de dólares teria ficado nas mãos do próprio Bannon.

O valor não foi usado em nada referente ao muro. Kolfage, que era o fundador da operação e rosto público, também teria usado o dinheiro para ele mesmo.

Pessoas próximas a Bannon afirmaram que ele não vai se declarar culpado, diz a rede MSNBC. 

Bannon é apontado como um dos arquitetos da vitória de Trump nas eleições presidenciais. Quando Trump assumiu, virou estrategista-chefe da Casa Branca, mas foi demitido em agosto de 2017, não durando muito. Ele virou um símbolo para conservadores em vários países, inclusive no Brasil, onde aconselhou a família do presidente Jair Bolsonaro. Eduardo Bolsonaro teve vários encontros com Bannon.

A construção do muro na fronteira com o México foi promessa de campanha de Trump.

Eduardo e Bannon (Foto: Reprodução)

Fonte: Correio