'Jogamos para ganhar', afirma dono PSG

Responsável por injetar dinheiro e elevar o patamar do Paris Saint-Germain no futebol europeu e mundial, o  presidente e dono do clube, Nasser Al-Khelaifi, comentou sobre a derrota para o Bayern de Munique na final da Liga dos Campeões 2019/20.

O empresário do Catar comentou que está muito triste por não ter levantado a taça, principalmente por uma temporada marcada por “muitas coisas positivas”, como afirmou. Apesar do vice-campeonato, ele ressaltou a presença do PSG na sua primeira final continental.

“Estou orgulhoso dos jogadores. Ninguém esperava que estaríamos na final. Hoje fizemos um jogo para ganhar, mas é futebol. Estamos cada vez mais próximos do nosso objetivo e vamos trabalhar para ganhar na próxima temporada”, contou Khelaifi. 

A derrota pelo placar mínimo contra o um elenco muito superior como é o do Bayern de Munique deixa uma esperança para os torcedores e investidores do Paris. O catariano comentou que a partida não foi contra “uma equipe fraca” e que seu time criou diversas chances de gol. 

Frustração

Zagueiro de origem, o brasileiro Marquinhos atuou nessa última temporada sob o comando de Tuchel como volante. O camisa 5 se mostrou polivalente fez ótimas partidas com a camisa do PSG, inclusive marcando o primeiro gol na vitória por 3×0 para o RB Leipzig, na semifinal.

Apesar das atuações positivas, o título não veio e Marquinhos comentou que está “muito frustrado por não ter vendido”. “Nós queríamos fazer história e eu penso que, na medida do possível, fizemos uma linda historia nesta competição. Mas sempre queremos mais, quando chegamos tão perto, principalmente. É preciso sonhar alto e querer mais”, completou.

Marquinhos aquecendo antes da final contra o Bayern de Munique (Foto: Divulgação / PSG)

Companheiro de Thiago Silva desde 2013, quando chegou no clube, Marquinhos disse que esperava um jogo de despedida melhor para o amigo. “Queria muito que ele pudesse levantar a taça, ele merece. Faz parte desse história de construção do PSG, ajudou muito internamente”, disse. 

Já sobre sua atuação como volante, caso o PSG contrate um outro jogador para o lugar de Silva, a tendência é que Marquinhos continue atuando no meio. O brasileiro garantiu que se sente confortável com as duas posições e espera de Tchel a decisão de onde vem jogar, principalmente pelo técnico “confiar muito em mim”. 
 

Fonte: Correio