Justiça manda internar homem que sequestrou e depredou ônibus em Salvador

Preso em flagrante após sequestrar um ônibus e depredar coletivos em duas garagens em Salvador nesta segunda-feira (25), Estêvão Cardoso Marques deverá ser internado no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, conforme decidiu o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). 

De acordo com a corte, o homem possui relatório psiquiátrico e ficha de acompanhamento do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) com diagnóstico de esquizofrenia. O documento da decisão pelo internamento cita que ele havia sido afastado do trabalho por tempo indeterminado. Segundo a juíza Ivana Carvalho Fernandes, há sérios indícios de que Estêvão possui transtorno mental, suspeita reforçada também pela polícia, que solicitou instauração de um procedimento de Incidente de Insanidade Mental.

A justiça solicitou que Estêvão seja submetido a exame médico psiquiátrico e a internação provisória do homem, que é ex-funcionário de empresa de ônibus. Contrariando o desejo do Ministério Público da Bahia (MP-BA), a juíza negou o pedido de prisão preventiva para ele, já que supostamente ele não teria capacidade suficiente de entender a gravidade do que cometeu.

Diante dos indícios de insanidade mental e dos crimes praticados com ameaça — já que ele teria usado um facão para sequestrar o ônibus —, o TJ-BA apontou a possibilidade de Estêvão repetir os atos. Para o tribunal, ainda não há provas periciais que concluam que o homem é incapaz de responder pelos seus atos.

Relembre o caso

Em aparente estado de surto e armado com uma faca, um homem sequestrou um ônibus no bairro de Castelo Branco no início da tarde desta segunda-feira (24). De acordo com a Polícia Militar, ele abordou o coletivo por volta das 13h40, ameaçou os passageiros e ordenou que todos os presentes descessem. Em seguida, ele dirigiu o ônibus até uma garagem do consórcio Integra no bairro de Pirajá, a quase 7 Km do local inicial, e jogou o veículo contra vários outros coletivos, causando danos.

Após esta invasão, o homem ainda dirigiu até outra garagem, desta vez no bairro de Praia Grande, a cerca de 12 Km da garagem anterior, e tornou a destruir mais ônibus. Vídeos gravados pelos rodoviários da empresa (ver abaixo) mostram que vários funcionários tentaram conter a fúria do homem, que acabou detido com a chegada da polícia.

Numa das gravações da sequência de atos, o homem dá ré num ônibus de cor verde e joga o fundo do veículo contra três ônibus estacionados na garagem de Pirajá. Nesse momento, alguém chega a dizer que se tratam dos veículos da nova frota. “Chama a polícia, gente, esse homem tá doido”, grita uma mulher. Após o rastro de destruição, ele foge da garagem ainda a bordo do veículo.

Noutro vídeo, já na segunda garagem, é possível ver que os rodoviários colocaram um ônibus amarelo atravessado na saída da garagem para impedir a fuga do criminoso. O homem foge do ônibus à pé e então os trabalhadores correm para tentar pegá-lo. Neste momento, uma viatura marrom da Polícia Militar chega e ouve-se som similar ao de tiros. Os militares então se aproximam e pedem que os curiosos se afastem para poder algemar o homem. 

O suspeito aparece caído no chão, após ser contido, e um dos policiais pergunta se o homem é rodoviário, ao que funcionários da empresa dizem se tratar de um ex-rodoviário. A Polícia Militar informou que o criminoso terminou sendo encaminhado para a Central de Flagrantes (Iguatemi).

Presidente em exercício no Sindicato dos Rodoviários, Fábio Primo informou ao CORREIO que alguns rodoviários reconheceram o homem, que há seis anos teria sido funcionário da manutenção de ônibus em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. 

“O pessoal acredita que ele surtou, mas não temos mais informações. O que a gente vai cobrar agora é mais segurança nas garagens porque se tivesse uma segurança de qualidade, ele já teria sido detido desde a primeira garagem e não levaria mais risco nem às ruas e nem aos funcionários”, disse.

De acordo com o Consórcio Integra, o caso está sendo apurado e o que se sabe, inicialmente, é que o homem primeiro tomou um ônibus da empresa OTTrans e invadiu duas garagens da empresa Plataforma, que compõem o consórcio. Ainda segundo a Integra, ninguém ficou ferido e foram registrados apenas danos materiais.

Perguntado se o homem tinha sinais de surto psicótico, Cláudio Malamut, gerente do sistema de atendimento a usuários de ônibus, relatou que não acompanhou o caso pessoalmente no local e não saberia afirmar, mas considera o episódio incomum. “Uma pessoa em sã consciência não faz isso. A polícia dará o encaminhamento adequado”, disse.

Flagrante e motivação

Em nota, a Polícia Civil informou que o homem também danificou o portão de uma das garagens. Ele foi posteriormente apresentado na Delegacia de Repressão a Furto e Roubo de Veículos (DRFRV) e foi autuado em flagrante por roubo e dano ao patrimônio. Ainda conforme a polícia, a justiça definirá se ele se manterá preso ou não.

Titular da DRFRV, o delegado Glauber Eiji Uchiyama informou que o homem foi ouvido por um delegado plantonista e, quando ouvido, o criminoso teria relatado que cometeu os atos porque está desempregado há cerca de 10 anos. “Ele põe a culpa na empresa por não ter arrumado emprego. Foi feito o flagrante do fato e vão ser ouvidas mais testemunhas. Amanhã [terça-feira] ele vai para a audiência de custódia e fica à disposição da justiça”, contou.

O levantamento dos danos provocados pelo homem não foi informado pelas autoridades. Procurado, o advogado que representa as empresas, Felipe Almeida, informou que ainda aguarda o resultado da perícia policial para dimensionar o prejuízo, mas já foram identificados 12 ônibus depredados.

“O que parece ter ficado claro é que o autor do fato tem algum desvio psicológico e, em razão desses problemas, ocasionou hoje esse episódio que todo mundo viu. Com relação a danos, a gente mensurou 12 ônibus, sete em uma garagem e cinco em outra. Alguns dos ônibus são novos, adquiridos agora com ar condicionado, então é um prejuízo pesado para a Plataforma e a Ótima [OTTrans]”, declarou.

A Transalvador informou que não chegou a ser acionada para atender a ocorrência. A Secretaria de Municipal de Mobilidade (Semob) não se manifestou sobre o caso.

Fonte: Correio