5 fatos curiosos sobre Alok que você talvez não saiba; Dj faz live segunda (31) no CORREIO

Alok nasceu em Goiânia, Goiás,  em 26 de agosto de 1991 e  foi eleito o 11º melhor DJ do mundo pela revista britânica DJ Mag. O DJ, que também é produtor musical, é o convidado desta segunda-feira (31) do projeto Segundou, apresentado por Joca Guanaes toda segunda às 19h no Instagram do CORREIO. 

Alok Achkar Peres Petrillo alcançou a glória mundial em 2016 com o single “Hear Me Now”. Alok acompanhavam seus pais ao lado de seu irmão gêmeo Bhaskar, em suas apresentações de psy trance pelo país. Aos 19 anos, depois de trancar o curso de relações internacionais, fez um curso de discotecagem em Londres, retornando ao Brasil novamente.Em 2010, decidiu seguir carreira solo, mudando de gênero para o house music, sendo um dos primeiros a adotar o sub-gênero brazilian bass. Em 2016, ele acabou assinando contrato com a gravadora holandesa Spinnin’ Records, lançando logo depois a canção “Hear Me Now” com Bruno Martini e do cantor e compositor Zeeba, que levou a sua projeção internacional, com a música entrando em paradas de vários países.

A música  Hear Me Now tem mais de 340 milhões de visualizações somente no Youtube. 

 Com uma trajetória ligada à filantropia, como empresário, fundou em 2015 sua primeira gravadora, a UP Club Records e a Artist Factory em 2017, que atua como agenciadora de artistas da música eletrônica. Em 2019, fundou a Controversia Records, uma sub gravadora da Spinnin’.

Essas e outras histórias sobre Alok você vai acompanhar nesta segunda-feira (31) às 19h no Instagram do CORREIO. Até lá veja 5 fatos curiosos sobre Alok que você talvez não saiba: 

1. Alok tem um irmão gêmeo chamado  Bhaskar, que também é DJ 

Foto: Reprodução

2. Seu nome veio depois de seus pais viajarem para Índia, onde se encontraram com o guru espiritual Osho, que indicou que o menino deveria se chamar Alok, que na língua sânscrita significa “luz”

Foto: Reprodução

3. Ele morou até os cinco anos de idade em Águas Claras, Distrito Federal, logo depois mudou-se para Amsterdã, Holanda com sua mãe e seu irmão, onde ela trabalhava como faxineira em uma boate. Nessa época, eles moravam em um prédio invadido por famílias, e que muitas vezes sua mãe não tinha com quem os deixar, e os levava para as danceterias. 

4. Até sua adolescência, Alok fez aulas de jiu-jitsu, e chegou a participar de um campeonato de Muay Thai.

5. Alok é apoiador da organização não governamental (ONG) Fraternidade Sem Fronteiras. m 2018, Alok doou R$ 400 mil para a construção de uma escola em Maputo, no Moçambique. Em julho do mesmo ano, o DJ doou R$ 100 mil para os Hospitais Pequeno Príncipe e GRAAC, ambos especializados no tratamento de câncer infantil. O artista também doou R$ 150 mil ´´ara o Projeto Axé, em Salvador para ajudar a instituição continuar seus projetos com crianças de rua, dentre outras ações. 

 

Fonte: Correio