Tremeu de novo: Amargosa registra terremoto de 3,5 de magnitude na madrugada

Um novo terremoto atingiu cidades do Recôncavo baiano na madrugada desta segunda-feira (31), mais precisamwente às 3h42 da manhã. Os tremores tiveram epicentro na cidade de Amargosa, com magnitude de 3,5 na escala Ritcher, e foram sentidos em pelo menos outras quatro cidades: Varzedo, Castro Alves, São Miguel das Matas e Elísio Medrado. As informações são do Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e foram confirmadas pelo prefeito de Amargosa, Júlio Pinheiro. 

“Esse novo tremor foi registrado pelo laboratório e também pela população, que foi por volta das 3h da manhã. Muitas pessoas relataram acordar assustadas”, afirma o prefeito de Amargosa, Julio Pinheiro. 

Segundo Pinheiro, dois outros terremotos acometeram a cidade ontem (30). O primeiro foi registrado cerca de 7h30 da manhã com magnitude de 3,7 e o segundo logo depois, às 8h10 com magnitude de 4,2 na escala Ritcher. A origem teria sido na zona rural do município, entre as comunidades de Alto Seco e Corta Mão. Elas ficam próximas à Mutuípe, epicentro do primeiro tremor de ontem, que teve magnitude de 4,9 e foi sentido em 42 cidades baianas. 

Apesar de ter causado rachaduras em paredes e no chão de casas de alguns moradores e de uma Igreja, o prefeito de Amargosa disse que não houve maiores estragos. “Desde ontem nossa equipe da Guarda Municipal tem estado em campo. Houve avarias nas casas como rachaduras em paredes e nos telhados, mas nenhum caso grave” confirmou o prefeito. 

Hildete, que mora perto de Elísio Medrado, sentiu o tremor por volta das 3h45 da manhã. “Estava dormindo e senti minha cama tremer”, relatou a moradora, no site do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) que registra abalos sísmicos.  

Em Varzedo, Tainá Silva Santos comentou que sentiu o tremor às 4h14 da manhã. “Já é o segundo dia consecutivo que sentimos o tremor, ele tem se tornado frequente”, relatou. 

Ainda no Centro Sismólogico da USP, um anônimo registrou ter sentido o tremor em São Miguel das Matas: “acordei com o som do tremor e a casa balançando”.

*Sob orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro
 

Fonte: Correio