Ex de Hulk, Iran Ângelo diz que sobrinha Camila foi 'sepultada'

A ex-mulher do jogador Hulk Paraíba, Iran Ângelo, escreveu um longo texto pela primeira sobre o envolvimento de sua sobrinha, Camila Ângelo, com seu ex-marido. Ela postou um longo texto em seu perfil no Instagram em que aparece ao lado da irmã, Nires, mãe de Camila Ângelo, no dia do aniversário da jovem. No desabafo, Iran diz que considerava a sobrinha uma filha e que Camila “foi sepultada” para ela na véspera do Natal de 2019. Ela Hulk foram casados 12 anos e tiveram três filhos juntos. 

O romance do jogador com a sobrinha da mulher gerou bastante polêmica quando se tornou público. Hulk e Camila assumiram o namoro em dezembro de 2019, cerca de quatro meses após o jogador se separar da tia da jovem. Os dois se casaram uma semana depois, no mesmo dia em que o jogador tinha planejado se casar oficialmente com a ex. Segundo a colunista Fábia Oliveira, o casal até aproveitou parte de festa prevista para o antigo casal.

Leia o depoimento na íntegra:

“Há um ano atrás, apesar do sofrimento e confusão que minha vida mergulhou, eu precisava comemorar, dá um tempo na dor, para celebrar o aniversário da minha filha e assim fiz. Sim, ela era minha filha, assim como os meus outros filhos Ian, Tiago e Alice. Acordo e adormeço sem entender porque tudo isso aconteceu comigo. A dor é muito grande, às vezes penso que vai arrancar meu coração, mas Deus vem e me ampara. Ele tem sido o meu sustento.

Dei tudo à essa menina desde que ela veio ao mundo. Sacrifiquei tantas vezes meus sonhos para realizar os sonhos dela. E aqui não falo só de bens materiais, pois esses são fáceis de serem dados quando se tem dinheiro, mas de amor, carinho, atenção, respeito… tudo. Ela conhecia minhas fragilidades, inseguranças, dores, medos, planos, e tinha meu amor incondicional. Ela administrava minha vida, e para mim tudo que ela falava era bom, era certo, era ético. Para mim, ela era perfeita em tudo e à ela entreguei o rumo da minha vida. Se eu errei, meu Deus, foi por amar e confiar demais.

Iran e a irmã, mãe de Camila

Mas como é difícil viver o primeiro aniversário de alguém, quando a gente a sepultou. Foi difícil não estar junto dos meus pais e do meu irmão no dia dos seus aniversários, sentimos que vazio toma conta da gente. Imagina quando você sepultou uma filha em vida? Não queiram conhecer esse sofrimento que dilacera a alma, que arranca um pedaço da gente.

Hoje eu vivo novamente a dor do sepultamento que aconteceu no dia 21 de dezembro, véspera de Natal de 2019, porque eu sei que você, minha irmã e mãe, precisa seguir.

Como mãe que sou, sei que é chegada a hora de você seguir para junto da sua filha, e não quero que você se sinta presa por minha causa. Deve ter sido muito difícil ficar todo esse tempo sem qualquer contato com ela, sem ouvir a voz, sem dar um abraço. Porque se para mim foi e é um massacre lidar com essa realidade, imagino para você. Se nossa mãe estivesse aqui ela estaria incondicionalmente do meu lado, não tenho dúvida disso, e mandaria que você seguisse.

De coração em pedaços, não vou mentir, estou pronta para você seguir.

Eu sabia que uma hora isso ia acontecer, e que você ia me falar desse reencontro imediatamente, como fez hoje cedo. Pude sentir o quanto você está devastada, mas conhecendo o seu caráter, e sabendo que você não gosta de mentiras, sempre soube que quando esse momento chegasse eu seria a primeira a saber. Eu lutava contra essa realidade porque sabia que a dor seria enorme, mas no fundo sabia que esse momento iria chegar, e que hoje seria esse dia.

Não sei onde tudo se perdeu, eu não sei. Minha meta na vida sempre foi ter minha família unida, tanto que sempre fiz tudo, tudo, tudo para isso e muitas vezes deixando minha própria vida de lado. E contra todos os meus planos, vi tudo se desajustando, como a morte prematura do meu irmão Eudo, que infartou no começo deste ano, a perda do bebê de Rayssa, a mudança para o Brasil. Um terremoto passou por cima da minha vida, tirando tudo do lugar. E no meu caso, nem a morte em vida foi capaz de arrumar o estrago.

Então, entrego minha vida à Deus. Estarei sempre aqui, de coração aberto para você, minha irmã e mãe.”

Fonte: Correio