Volkswagen investe R$ 1 bilhão em novos caminhões extrapesados

A Volkswagen Caminhões e Ônibus investiu R$ 1 bilhão em sua linha de extrapesados. O principal produto é o Meteor, que chega em duas opções: 29.520 6×4 e o 28.460 6×2. A empresa ainda ampliou a linha do Constellation com o 33.460 6×4. De acordo com Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas e marketing da VWCO, “a categoria de pesados no país cresceu de 20% do mercado de caminhões em 2015 para 50% em 2019, sendo metade disso de cavalos mecânicos extrapesados, mas só participávamos de 12% deste segmento. Vimos uma oportunidade de aumentar nossa presença na entrada desse nicho; e quem nos disse isso foram os clientes, que queriam veículos com as características que estamos lançando agora”.

Os três modelos são equipados com motor de 13 litros, que rende 460 cv ou 520 cv de potência e com torque que varia entre 234,5 kgfm e 254,9 kgfm. Todos usam a mesma transmissão automatizada, a ZF Traxon de 12 ou 16 marchas. O Meteor 6×4 de 520 cv opera com implementos de sete e nove eixos (bitrens e rodotrens) com PBTC (peso bruto total combinado) de 57 a 74 toneladas. A configuração 6×2 de 460 cv puxa carretas de três eixos com PBTC de 48,5 a 53 toneladas. Ambos podem ser configurados com suspensão mecânica ou pneumática e três distâncias entre-eixos (3,2, 3,4 ou 3,6 metros). O Constellation 33.460 é o caminhão com a maior capacidade de carga da marca, que pode puxar combinações de até 125 toneladas em operações off-road de mineração, construção e no agronegócio. Os dois modelos Meteor custam R$ 550 mil (28.460 6×2) e R$ 590 mil (29.520 6×4) e o Constellation 33.460 tem preço sugerido de R$ 540 mil.

“Mesmo com toda a crise que vivemos, nos anos recentes e agora com os problemas trazidos pela pandemia, mantivemos os investimentos e com este lançamento nos tornamos ‘full liner’, com novos produtos para o segmento que se tornou o mais importante do mercado brasileiro de caminhões”

Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus

A HISTÓRIA DA VWCO
A Volkswagen foi criada em 1937 na Alemanha, mas como fabricante de caminhões seu início foi apenas em 1981, e no Brasil. Atualmente, é a vice-líder do mercado de caminhões com 25,95% de participação e do segmento de ônibus, com 21,15%. A empresa é integrante do Grupo Traton, que além dos caminhões e ônibus com a marca VW, produz e comercializa produtos da MAN. A principal unidade produtiva fica em Resende, no interior do Estado do Rio de Janeiro, no Brasil. A outra fica na cidade mexicana de Querétaro. Há ainda uma unidade para montagem na cidade de Pinetown, na África do Sul.

BALANÇO MENSAL
Em agosto, 173.544 automóveis e comerciais leves (picapes e vans) novos foram emplacados, alta de 6,42% em relação a julho (163.075 unidades). Na comparação com agosto de 2019, a queda foi de 24,77%, quando foram emplacados 230.693 veículos. “A manutenção da taxa Selic, em níveis baixos, assim como a pandemia, têm estimulado a compra de carros para o transporte individual das pessoas. Além disso, os financiamentos ficaram mais acessíveis. Atualmente, o índice de aprovação cadastral é de quase 7 aprovações para cada 10 avaliações enviadas aos bancos”, avaliou Alarico Assumpção Jr., presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

DIVISÃO POR MARCA
A Volkswagen liderou os emplacamentos de automóveis e comerciais leves em agosto, com 19,66% de participação, o que equivale a 34.124 veículos. A segunda posição ficou com a Fiat, que teve 31.365 unidades licenciadas no período (18,07%). A Chevrolet, que continua liderando no acumulado do ano, teve 28.792 emplacamentos no último mês (16,59%) e ficou em terceiro lugar. Da quarta à décima posição ficaram: Hyundai (9,23%), Toyota (6,66%), Jeep (6,03%), Ford (5,89%), Honda (4,22%), Renault (4,05%) e Nissan (2,75%).

FATOS CURIOSOS
Em agosto, a BMW, que comercializa modelos premium, teve 1.261 unidades emplacadas no país. É um volume superior ao de três fabricantes generalistas: Citroën (1.155), Peugeot (1.153) e Kia (641).

MERCADO NACIONAL
O Chevolet Onix liderou os emplacamentos em agosto com 10.609 unidades. A surpresa foi a presença da Fiat Strada em segundo, com 4.824 licenciamentos, o que garantiu a segunda posição. O Hyundai HB20 (8.489) ficou com a terceira posição, o Volkswagen Gol (7.912), em quarto, e o VW T-Cross (6.455), em quinto.

O Chevrolet Onix liderou o mercado de automóveis e comerciais leves em agosto (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Da sexta à décima posição ficaram: Fiat Argo (6.040), Chevrolet Onix Plus (5.974), Chevrolet Tracker (5.899), Jeep Compass (5.221) e Jeep Renegade (5.211). Entre os destaques positivos estão os bons desempenhos da Strada, do Tracker e o do Gol. A negativa é o baixo volume (4.617) do Ford Ka no último mês, modelo que é o quarto em vendas no acumulado do ano.

RANKING BAIANO
Pela primeira vez no ano, o Chevrolet Onix perdeu a liderança mensal no mercado estadual. A protagonista de agosto foi a picape Strada, da Fiat, que somou 462 emplacamentos, 16 unidades a mais que o hatch da Chevrolet. O Hyundai HB20 ficou com a terceira posição com 356 licenciamentos, seguido pelo Onix Plus (332) e Ford Ka (264).

Na Bahia a Strada liderou os emplacamentos, deixando o Onix em segundo lugar (Foto: Antônio Meira Jr./ CORREIO)

Da sexta à décima posição ficaram: Fiat Toro (263), Hyundai Creta (244), Ford EcoSport (169), Jeep Compass (159) e Fiat Argo (156). Destaque para a Strada e Creta, respectivamente, picape e SUV mais vendidos no acumulado do ano na Bahia. O resultado negativo foi da Volkswagen, que não colocou nenhum modelo entre os dez mais vendidos no Estado.

CAYENNE TEM NOVAS OPÇÕES
A Porsche iniciou as vendas de duas novas versões do Cayenne Coupé: E-Hybrid e Turbo. A opção híbrida, que custa R$ 495 mil, conta com 462 cv e pode rodar até 44 km em modo elétrico. A versão Turbo é equipada com um motor V8 de 4 litros que fornece 550 cv, que leva o SUV de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos. Custa R$ 789 mil.

As novas configurações do maior SUV da Porsche chegam este mês ao país (Foto: Porsche)

Fonte: Correio