Conheça a história do maior campeão francês (e não é o PSG)

A participação de duas equipes francesas na última semifinal da Liga dos Campeões chamou atenção para a “Farmers League”, ou Liga dos Fazendeiros, alcunha pejorativa dada ao Campeonato Francês. A dupla que se destacou a nível continental na última Champions é dona das duas grandes dinastias implantadas na Ligue 1 durante o corrente século XXI: o Lyon, que foi heptcampeão entre 2001 e 2008 sob o comando de Juninho Pernambucano, e o PSG, atual tricampeão e vencedor de sete das últimas oito edições do torneio.

Mesmo com essas sequências incríveis, nem Lyon nem PSG são os maiores vencedores da competição. Com 10 títulos em suas prateleiras, um a mais que PSG e Olympique de Marseille, o grande vencedor da França é o Saint-Étienne, equipe que já teve os seus dias de PSG no século passado e, assim como os novos milionários do futebol, também foram derrotados pelo Bayern em uma final de Liga dos Campeões.

Os grandes dias do Saint-Étienne foram vividos entre as décadas de 1960 e 1970, com um tri e um tetracampeonato francês, respectivamente. Fundado em 1919, o clube da região de Auvérnia-Ródano-Alpes, no Sudeste do país, leva o nome da sua cidade e tem o branco e o verde como suas cores.

O primeiro título francês foi conquistado em 1957. Foi a primeira demonstração de força do clube que iria conquistar quatro títulos, sendo três em sequência, na década seguinte sob o comando do técnico Albert Batteux – primeiro a colocar uma equipe francesa na final da Copa dos Campões quando levou o Reims até a decisão vencida pelo Real Madrid em 1955/56.

Após a saída de Batteux, uma lenda do clube como jogador assumiu o comando técnico e guiou o Saint-Étienne em seus anos mais gloriosos: Robert Herbin fez o time praticar um jogo muito tático, reconhecido pelo forte conjunto e imposição física.

A força dos “Verts” (verdes, em francês) começava logo no gol com Ivan Curkovic, goleiro da seleção iugoslava e vice-campeão da Champions com o Partizan em 1966. A defesa tinha como referência o argentino Osvaldo Piazza, que tinha a companhia de Pierre Repellini no miolo de zaga e os laterais Gérard Janvion e Christian López.

A magia daquele time que chegou à final da Liga dos Campeões na temporada 1975/76 foi feita em casa. Literalmente. O ataque tinha os irmãos Patrick e Hervé Revelli. O último é o maior artilheiro do clube até hoje com 304 gols, segundo números do Saint-Étienne. Hervé também é o sexto com mais jogos na história do clube.

Para chegar até a final em Glasgow, na Escócia, a equipe passou pelos dinamarqueses do KB (embrião do que é o atual Copenhagen) na primeira fase e pelo Rangers nas oitavas. As quartas contra o Dínamo Kiev foram superadas após reverter os 2×0 sofridos na antiga União Soviética com um 3×0 em casa. Foi a grande vitória do time francês na competição. Antes de chegar à final contra o Bayern, superou o PSV, da Holanda, nas semis.

Os registros apontam que o Saint-Étienne jogou melhor, mas não conseguiu evitar o gol de Franz Roth em cobrança de falta que o colocou 1×0 no placar e deu, na época, o tricampeonato dos bávaros. Mesmo com a derrota, o time francês desfilou em carro aberto no retorno para casa.

Time do Saint-Étienne vice-campeão europeu em 1976 (Foto: Divulgação/Uefa)

Considerado um dos maiores jogadores da história da França, Michel Platini jogou nos Verts entre 1979 e 1982. Foi o pilar do 10º título francês do clube – o último até hoje, conquistado em 1980/1981. Saiu da França rumo à Juventus, da Itália, onde ganhou todos os títulos possíveis.

Os anos de glórias passaram e desde a saída de Platini a sala de troféus só voltou a ser atualizada com títulos da segunda divisão em 1998/99 e 2003/04. A última conquista foi a Copa da Liga Francesa em 2012/13.

Neste século, a melhor campanha do Saint-Étienne foi o 5º lugar há cinco anos, que o recolocou em uma competição continental, a Liga Europa. Foi finalista da última Copa da França, competição em que detém quatro troféus e é o 3º maior campeão, sendo derrubado pelo PSG na final.

Platini comemora gol com a camisa do Saint-Étienne (Foto: Site oficial Saint-Étienne/Divulgação)

Qual o maior clássico?
Há uma grande discussão sobre qual é o maior clássico da França. Um dos lados aponta que o confronto PSG x Olympique ocupe o posto. No entanto há argumentos contrários afirmando que esse status só é oferecido por se tratar de equipes das duas maiores cidades da França (Paris e Marseille).

Dito isto, a ala mais tradicional do futebol francês alega que o verdadeiro clássico é disputado entre Lyon x Saint-Etiénne. A regionalidade e proximidade das duas cidades homônimas, distantes apenas 63km uma da outra, são um fator que pesa para isso. E as características atribuídas a cada uma das populações também.

Enquanto Lyon é vista como uma cidade culta, rica e burguesa, Saint-Étienne é conhecida por ter boa parte de sua população historicamente formada por uma classe operária. Isso desde a época da Revolução Francesa, no século XVIII. Desde lá existia a rivalidade entre os vizinhos.

Um total de 119 jogos já foi disputado entre as duas equipes. O primeiro deles em 1951 e vencido pelo Lyon por 4×2 no antigo estádio Municipal de Gerland. O Lyon do brasileiro Bruno Guimarães já chegou a ficar 16 anos sem perder um clássico sequer: 21 jogos entre 23 de setembro de 1994 e 25 de setembro de 2010.

Mesmo com essa sequência incrível, é dos Verts a vantagem do confronto: são 44 vitórias a favor contra 42 do Lyon, além de 33 empates. O Lyon venceu o último clássico em março deste ano por 2×0 – dois gols do atacante Dembélé. A seu favor, o Saint-Éttiene tem a vitória no último dérbi dentro de seu estádio Geoffroy-Guichard. O golzinho solitário de Beric saiu aos 46 do segundo tempo.

Com capacidade para receber 42 mil pessoas, o Geoffroy-Guichard completou 90 anos em 2020 e foi um dos 10 estádios que sediaram a Copa do Mundo na França, em 1998. Foram seis partidas por lá: cinco na fase de grupos e uma pelas oitavas de final, a que a Argentina despachou a Inglaterra nos pênaltis após o empate em 2×2 no tempo normal.

Primeira das cinco grandes ligas europeias a iniciar a temporada, a Ligue 1 está na terceira rodada. No seu próximo compromisso, o Saint-Étienne recebe o Strasbourg em casa, no sábado (12). O PSG, por ter chegado à final da Champions, estreia quinta (10), contra o Lens, fora.

Fonte: Correio