Estudante brasileira morre em queda no poço de elevador em Buenos Aires

A estudante brasileira Ana Karolina Lara Ferreira Fernandez, 22 anos, morreu depois de cair no poço de um elevador em Buenos Aires, na Argentina, na noite da sexta-feira (4).

Segundo o Uol, Ana Karolina estava visitando amigos em um prédio quando aconteceu o acidente. Ela morava na Argentina para estudar Medicina.

Mãe de Ana Karolina, a empresária Silvana Lara Ferreira conta que a filha estava celebrando o resultado bom de uma prova da faculdade. Na hora de ir embora da casa dos amigos, ela chamou o elevador para descer, mas não notou que o equipamento não estava parado no andar. A queda foi do 13º andar.

“Ela estava feliz porque havia acertado todas as questões da prova de patologia e foi comemorar com os amigos. Foi uma fatalidade. Não há sentimento que explique o que estamos vivendo. Tem momento que parece que é mentira. É uma dor terrível”, lamenta a mãe.

Com a morte da jovem, a família criou uma campanha nas redes sociais para arrecadar dinheiro e trazer o corpo da estudante de volta para o Brasil. O sepultamento será no Chapadão do Céu, em Goiás, cidade onde moram os parentes. O valor de meta era cerca de R$ 25 mil, já que o translado de Buenos Aires para Guarulhos é de 5 mil dólares. Em menos de 12 horas, o valor foi atingido.

Mesmo com o dinheiro, a buracrocia para liberação do corpo não permite ainda prever uma data para o enterro. A documentação já foi enviada, mas Silvana diz que são muitos detalhes para resolver e com a pandemia tudo está mais lento. “Meu cunhado foi para São Paulo e com a ajuda do consulado e do Itamaraty estamos tentando agilizar”, diz.

A jovem, nascida em São Paulo, se mudou ainda criança para a cidade no interior de Goiás. Segundo a mãe, ela sempre sonhou em ser médica e foi há quatro anos para a Argentina por conta disso. 

“Aqui no Brasil uma faculdade de medicina é muito cara, então ela fez o processo seletivo lá e foi aprovada em uma universidade pública. Ela queria se especializar e depois voltar para o Brasil ou seguir carreira em Portugal, já que o avô dela é de lá”, conta.

Fonte: Correio