Mano sobre estreia no Bahia: 'Não tinha ilusões sobre esse jogo'

Mano Menezes estreou da pior forma no Bahia: perdeu em casa para o Atlético-GO por 1×0, pela 10ª rodada da Série A. Apesar da troca de comando, o Esquadrão amplia o jejum na competição para sete jogos e está em 16º, à beira do Z4.

Em entrevista após o jogo, o técnico admitiu que esperava dificuldades do Bahia diante do adversário: “Não tinha ilusões sobre o jogo. Vi o Atlético-GO jogar durante a semana e é uma equipe que está mais encaixada que a nossa. E com um ataque de muita mobilidade, eles têm criado algumas dificuldades para os seus adversários. Acho que hoje teve mérito deles”.

Mano avaliou a primeira impressão deixada pela equipe: “Na saída de bola tivemos muita dificuldade, esse é um problema que já vinha acontecendo. Por outro lado, a equipe melhorou a sua exposição defensiva, não sofreu tanto como em outros jogos. Mas temos que chegar a esse equilíbrio: ter segurança na defesa, mas capacidade ofensiva para construir resultados positivos”.

Em sua primeira partida, o treinador alterou um pouco a formação que vinha sendo praticada pelo interino Claudio Prates. Apostou no retorno de Clayson à equipe titular, algo que ainda não tinha acontecido na Série A, e colocou Jadson no meio-campo, sacando Daniel e Edson.

“As mudanças na equipe, dentro de uma sequência de jogos como a que temos, vão acontecer naturalmente. Iniciamos o jogo com um tripé de meio-campo, com Jadson um pouco mais à frente, ao lado de Rodriguinho, com Ronaldo mais recuado. Deixamos os flancos para Elber e Clayson. O Bahia já havia jogado muitos jogos dessa maneira no ano passado”, explicou Mano.

“Estamos numa fase em que as nossas escolhas – talvez pela pressão ou pelo peso do momento – não têm sido boas. Poderíamos ter escolhido melhor o último passe, ter mais paciência, e isso ter se transformado em chances mais claras para a gente. Temos o hábito de achar que quem está fora da equipe é a solução. Mas não é isso. Temos que melhorar como equipe”, completou o treinador.

Contratações

Mano também lembrou que teve pouco tempo para treinar a equipe, apenas uma sessão de 45 minutos num dia. E acredita que, quando tiver mais tempo para trabalhar, poderá fazer o time evoluir como um todo. Isso ocorrerá, segundo ele, quando passar o duelo com o Corinthians, o próximo da tabela. Será nesta quarta-feira (16), às 21h30, no Itaquerão.

Depois disso, o Bahia só voltará a jogar no dia 26 de setembro. Ou seja, terá um espaço de 10 dias para treinar. Nesse período, segundo o técnico, o tricolor também pode fazer contratações.

“O presidente (Guilherme Bellintani) e o diretor (Diego Cerri) me disseram para que analisasse o que ia precisar de reforços. Não tenha dúvida que temos essa ideia, mas eu disse a eles que gostaria de pelo menos ver os jogadores um pouco mais. Estabelecemos que o limite é o jogo contra o Corinthians. Porque depois disso teremos uma parada de 10 dias para trabalhar”, explicou Mano.

“Então temos, sim, essa ideia de contratar. Mas temos antes que saber por onde começar. Quais setores vamos atacar. Com quem podemos contar. Em quais setores precisamos encontrar soluções que não estejam aqui. Vamos fazer essa avaliação internamente para não expor os atletas e não dificultar as contratações”, completou o técnico.

Fonte: Correio