Ministro do STF Marco Aurélio decide suspender depoimento de Bolsonaro à PF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio decidiu adiar o depoimento do presidente da República, Jair Bolsonaro, à Polícia Federal (PF), que deveria acontecer entre os dias 21 e 23 de setembro. Conforme o magistrado, essa suspensão é até a Corte julgar o pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) de o interrogatório ser feito por escrito.

De acordo com a CNN Brasil, ele decidiu “congelar” os trâmites para não julgar uma decisão tomada por um colega – o caso está sob a guarda do ministro Celso de Mello, que está de licença médica.

Na semana passada, Mello contrariou o procurador-geral da República, Augusto Aras, e determinou que o presidente prestasse depoimento pessoalmente no inquérito, aberto após acusação do ex-ministro Sergio Moro.

Bolsonaro é investigado por suposta interferência na PF. Ele defendeu o pedido de prestar depoimento por escrito para  um “tratamento rigorosamente simétrico” a outros casos julgados pela Corte.

“Recorri ao STF pedindo a reconsideração da decisão do Exmo. Sr. ministro relator que negou ao presidente da República o direito de optar pela prestação de depoimento por escrito nos termos de precedentes recentes do próprio Supremo”, inicia a nota. E completa: “não se pede nenhum privilégio, mas, sim, tratamento rigorosamente simétrico àquele adotado para os mesmos atos em circunstâncias absolutamente idênticas em precedentes recentes do próprio STF”, disse.

Fonte: Agencia Brasil