Médica picada por jararaca em cachoeira recebe alta: 'Gratidão, meu Deus'

A médica Dieynne Saugo, internada após ser picada por uma cobra jararaca em uma cachoeira de Nobres, no Mato Grosso, recebeu alta hospitalar nesta sexta-feira (18) 

Dieynne estava internada no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, após ter sido transferida a pedido da família.

Em suas redes sociais, ela comemorou a alta e agradeceu familiares, médicos e todos os amigos e seguidores. “Gratidão meu Deus! Gratidão pelo carinho, pelas orações, pelo apoio, pelas mensagens. A vitória é nossa!”, escreveu.

 

 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

FINALMENTE ALTA HOSPITALAR!!! ♥️🙏 Em primeiro lugar: Gratidão meu Deus! ✨Gratidão toda minha família, em especial minhas irmãs, minha mãe maravilhosa, meus tios e tias de Maringá e meus tios e tias de Roraima ✨Gratidão meu namorado ✨Gratidão toda equipe que me deu suporte: Samu, PS Cuiabá, Complexo Jardim Cuiabá, e Hospital Albert einstein ✨Gratidão Dr Diogo e Dra Nathalia que acompanharam em Cuiabá ✨Gratidão Dr Sandrigo que me acompanhou todos os dias aqui em SP ✨Gratidão Dr Marcelo que fez minha traqueostomia ✨Gratidão Dr Mario Guarnieri que fez minha fasciotomia ✨Gratidão Dr Marcos Somano que fez a decanulação da traqueo ✨ Gratidão toda equipe de hematologia ✨Gratidão a fonoaudióloga ✨Gratidão a fisioterapeutas ✨Gratidão a nutri ✨Gratidão enfermeiros e técnicos de enfermagem ✨Gratidão todos meus amigos e amigas ✨Gratidão todos meus seguidores Gratidão pelo carinho, pelas orações, pelo apoio, pelas mensagens, pela contribuição com a vakinha. Continuamos arrecadando dinheiro para ajudar nos custos hospitalares, já estamos próximos da meta! O link para contribuição está no meu perfil! A VITÓRIA É NOSSA 🙏

Uma publicação compartilhada por ✨ Dra. Dieynne Saugo 👉 Dra Fit (@dradieynne) em 18 de Set, 2020 às 12:48 PDT

 

As picadas

Segundo Dieynne, a primeira picada foi na região submentoniana – abaixo do queixo – o que causou um hematoma e muito inchaço na região. 

“Em decorrência do grande edema que se formou, os médicos optaram por fazer uma cirurgia de traqueostomia, pois através do exame de tomografia constatou que havia 70% de comprometimento das vias aéreas”, contou.

Ainda segundo Dieynne, após a cirurgia ela teve sangramento intenso e precisou receber transfusão. 

A segunda e a terceira picadas, de acordo com a médica, foram na mão esquerda, o que levou a uma síndrome compartimental com compressão dos nervos mediano, radial e ulnar.

“Precisei fazer fasciotomia, um procedimento cirúrgico no qual a fáscia é cortada para aliviar a pressão e tratar a perda de circulação em uma área de tecido ou músculo. A fasciotomia foi necessária para salvar o membro, pois havia o risco de necrose muscular ou até mesmo amputação”, contou. 

O caso

Dieynne foi picada durante um passeio. Ela foi encaminhada às pressas para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) e, de lá, levada para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital particular. Na noite de quinta-feira (3), a médica foi transferida de avião para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde passou por uma cirurgia no braço no dia seguinte.

A família da médica criou uma campanha no site Vaquinha com o objetivo de arrecadar R$ 300 mil para o tratamento dela. Segundo a irmã da médica, o valor é referente ao custo da transferência para São Paulo e do período de internação no Einstein (R$ 200 mil). Ela disse que a família fez um empréstimo para conseguir realizar a transferência da médica.

Um vídeo gravado no momento da ocorrência mostra a médica pedindo socorro. A cobra teria despencado com a queda d’água da cachoeira, atingindo a médica, que estava logo abaixo da cascata. Veja abaixo:

<

 

Fonte: Agencia Brasil