Rachel Sheherazade afirma ter sido demitida do SBT por e-mail; veja vídeo

A jornalista Rachel Sheherazade, que apresentou o telejornal SBT Brasil nos últimos dez anos, afirmou na noite desta segunda-feira, 28, ter sido demitida por e-mail da emissora. Através de publicação em suas redes sociais, ela afirmou ter recebido mensagem dizendo que “não precisa voltar” à empresa.

Há cerca de um mês, segundo Sheherazade, ela e o SBT haviam entrado em consenso que seu contrato com a emissora não seria renovado. O vínculo com a jornalista, porém, estava acertado até o dia 31 de outubro. No vídeo divulgado, ela afirmou que a empresa “deu por cumprido” o serviço.

Em 2019, o dono da rede de lojas Havan, Luciano Hang, pediu publicamente que Sílvio Santos, dono do SBT, demitisse Sheherazade. Ela moveu processo contra o empresário, grande anunciante da emissora, pela afirmação. Sílvio, no entanto, manteve a jornalista no quadro de funcionários e na apresentação do SBT Brasil.

Em trechos opinativos do programa, traço característico dos telejornais do SBT, a apresentadora manifestou diversas vezes posicionamentos políticos à direita e conservadores. No entanto, devido a críticas ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), ela foi alvo de ataques deste mesmo campo político, desde a campanha eleitoral de 2018.

Não é, inclusive, o único caso do tipo dentro do próprio SBT. O apresentador Danili Gentili, também conhecido pelos posicionamentos políticos à direita, disse que Bolsonaro chegou a pedir sua demissão após críticas de Gentili à aprovação do Fundo Eleitoral em janeiro deste ano. O presidente negou a acusação.

Fonte: Correio