Norte-americanos dizem que Trump poderia ter evitado infecção por covid-19

Pesquisa Ipsos/Reuters divulgada neste domingo, 04, mostra que 65% dos norte-americanos acreditam que o presidente Donald Trump poderia ter evitado se infectar pelo novo coronavírus se ele tivesse dado mais atenção aos riscos da pandemia.

Donald Trump foi internado na sexta-feira, 2, no Centro Médico Militar Walter Reed, perto da capital Washington. Na tarde deste domingo, a Casa Branca emitiu comunicado sobre o estado de saúde e previsão de alta do presidente.

Entre os entrevistados para a pesquisa Reuters/Ipsos, 34% disseram que Trump tem dito a verdade sobre o coronavírus, enquanto 55% defenderam que o presidente não foi honesto sobre a pandemia. Outros 11% dos entrevistados afirmaram não ter certeza sobre a honestidade do presidente diante da crise de saúde global.

Ainda segundo o estudo, a forma como o governo americano respondeu à pandemia foi reprovada por 57% dos entrevistados. O dado representa alta de 3 pontos percentuais em relação à pesquisa da semana passada.

A pesquisa divulgada neste domingo também revela que 67% dos norte-americanos condenam atos políticos presenciais durante a campanha presidencial, enquanto 59% disseram acreditar que os debates devem ser adiados até a recuperação de Trump.

O próximo debate entre Joe Biden, o candidato do Partido Democrata, e Trump, que concorre à reeleição pelo Partido Republicano, estava marcado para o dia 15 de outubro.

Biden abriu vantagem nas pesquisas eleitorais após a notícia da contaminação de Trump por covid-19. Segundo a sondagem do Ipsos/Reuters, entre os adultos que devem votar no dia 3 de novembro, 51% apoiam Biden, enquanto 41% apoiam Trump. Outros 4% se inclinam para um terceiro candidato e os demais estão indecisos.

A pesquisa Ipsos/Reuteres foi feita pela internet entre os dias 2 e 3 de outubro e teve a resposta de mais de mil eleitores dos Estados Unidos.

Fonte: Correio