Com covid-19, Trump tira a máscara ao chegar à Casa Branca; veja vídeo

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, voltou à Casa Branca na noite desta segunda-feira (5). Logo que chegou na residência, o representante removeu sua máscara e ergueu o polegar, após passar três dias no hospital Walter Reed Medical Center.

O presidente,de 74 anos, deixou o centro médico esta noite após alta hospitalar, apesar de não ter completado o seu tratamento completo contra a covid-19. Ele voltou à Casa Branca de helicóptero do hospital militar Walter Reed, nos arredores de Washington, pouco depois de anunciar no Twitter a intenção de retomar “em breve” sua campanha para a reeleição.

Trump anunciou que estava com a covid-19 na madrugada de sexta (2) e foi hospitalizado no mesmo dia. A mulher dele, Melania, também está com a doença, mas não foi hospitalizada.

O presidente, que é candidato à reeleição, contraiu a doença a um mês das eleições, que disputa com o democrata Joe Biden. 

Durante todo período da pandemia, Trump minimizou a covid-19. Apareceu frequentemente em eventos sem máscara, inclusive rallys de campanha com muita gente. 

Médico classifica saída de Trump do hospital como ‘insana’ e ‘teatro político’
No domingo (5), Trump saiu para uma volta de carro para cumprimentar apoiadores do lado de fora. O doutor James Phillips, médico assistente do hospital, inclusive, classificou a atitude como “insana” e uum “teatro político”, afirmando que Trump colocou vidas em risco.

Trump deixou o hospital militar em um carro preto no domingo. Sentado no banco de trás, ele passou acenando aos apoiadores, que estão fazendo uma espécie de vigília no local desde que o presidente foi levado para lá por conta da covid-19. Depois, ele retornou à unidade médica, que tem acomodações exclusivas para o presidente.

Médico classifica saída de Trump do hospital como 'insana' e 'teatro político'

(Alex Edelman/AFP)

“Cada pessoa no veículo durante aquele ‘passeio presidencial’ completamente desnecessário agora tem que ser colocada em quarentena por 14 dias”, escreveu o médico no Twitter. “Eles podem ficar doentes. Eles podem morrer. Por teatro político. Comandados por Trump para colocar suas vidas em risco por causa do teatro. Isso é loucura”, acrescentou.

“Esse carro presidencial não é apenas à prova de balas, mas hermeticamente selado contra ataques químicos. O risco de transmissão de covid-19 no interior é tão alto quanto fora dos procedimentos médicos. A irresponsabilidade é surpreendente”, continuou.

O porta-voz da Casa Branca, Judd Deere, afirmou que a saída foi considerada “segura” pela equipe médica que acompanha Trump. “As devidas precauções foram tomadas na execução deste movimento para proteger o presidente e todos aqueles que o apoiam”, afirmou.

Fonte: Correio