Nobel de Física premia trio por descobertas sobre buracos negros

Roger Penrose, Reinhard Genzel e Andrea Ghez foram anunciados nesta terça-feira (6) como os ganhadores do Prêmio Nobel de Física de 2020 por suas descobertas sobre o buraco negro, um lugar no espaço em que a gravidade é tão forte que nem a luz consegue escapar dessa força.

    O britânico Penrose, de 89 anos, foi premiado “pela descoberta de que a formação de buracos negros é uma previsão robusta da teoria geral da relatividade”. Ele ficará com metade do prêmio.

    Já o alemão Genzel, 68 anos, e a americana Ghez, 55 anos, foram escolhidos pela “descoberta de um objeto compacto supermassivo no centro de nossa galáxia”. Ambos dividirão a outra metade do prêmio, de 10 milhões de coroas suecas, cerca de R$ 6,2 milhões. Ghez é a primeira mulher premiada pela Academia Sueca este ano e a quarta na história a receber o Nobel de Física.

    “Estou animada em receber o prêmio – levo muito a sério a responsabilidade de ser a quarta mulher a ganhar o prêmio Nobel (em Física). Espero pooder inspirar outras jovens mulheres para uma área que tem tantos prazeres, se você tem paixão pela ciência. Há muito para ser feito”, declarou Ghez logo após o anúncio.

    Penrose é professor da Universidade de Oxford, no Reino Unido. Já Genzel é ligado ao é afiliado ao Instituto Max Planck para Física Extraterrestre em Garching, na Alemanha, e à Universidade da Califórnia em Berkeley, também nos EUA. Ghez é professora na Universidade da Califórnia, em Los Angeles (UCLA).

    O Nobel de Medicina foi entregue ontem, iniciando a atual premiação. Veja como segue o calendário:

    • Química: quarta-feira, 7 de outubro
    • Literatura: quinta-feira, 8 de outubro
    • Paz: sexta-feira, 9 de outubro
    • Economia: segunda-feira, 12 de outubro

    Fonte: Correio