Transformação digital está só começando

Foi no susto que muitos restaurantes se conectaram a aplicativos de entrega, que varejistas montaram lojas virtuais e pela mais pura necessidade foram apresentados ao mundo digital e suas novidades. A pandemia do novo coronavírus acelerou o processo de transformação digital entre os empreendedores brasileiros, que precisaram abrir os olhos para ferramentas capazes de compensar os prejuízos causados pelo distanciamento. 

Entretanto, os benefícios do domínio da tecnologia para o setor produtivo podem ser ainda maiores e trazer resultados bem mais significativos que o de ajudar a superar uma crise. Além do acesso a mercados pelas redes sociais, existe um universo de dados para ser explorado que é capaz de mostrar nichos de mercado ou apresentar oportunidades novas. O Agenda Bahia ao Vivo de outubro, que acontece na próxima quarta-feira (dia 14), às 11h, vai tratar de empreendedorismo e mostrar como empresas de todos os portes podem se beneficiar do universo dos dados. Os palestrantes do evento serão Diego Figueredo, CEO da Nexo A.I; Julio Begali, Head da SMARTie; e Sil Bahia, codiretora executiva do Olabi e idealizadora do Pretalab. O encontro será mediado pela jornalista Camila Marinho. 

Empreendedores com inovação no DNA saíram na frente na crise e buscaram oportunidades em meio a um cenário adverso. Mas a transformação não veio só da tecnologia. Investimento em pessoas, sustentabilidade e no coletivo, com o impacto social e ambiental, estão movimentando novos mercados. 

“O coronavírus trouxe imensos desafios, mas também aprendizados.  A proposta é que os palestrantes falem sobre os impactos e como reagiram à crise. Seja na área de gestão ambiental, de tecnologia ou de inovação social”, destaca a jornalista Rachel Vita, curadora do Fórum Agenda Bahia. Ela lembra que o debate desta edição avança também na temática deste ano, cuja proposta é discutir a importância dos dados na sociedade. 

“Sil Bahia, Julio Begali e Diego Figueiredo vão mostrar como os dados da gente, a pegada digital que deixamos por aí e os algoritmos, podem impulsionar negócios, mas também aumentar a desigualdade na sociedade a depender da condução”, destaca.

Os convidados

Diego Figueredo é empreendedor desde os 18 anos. Formado em administração pela FGV, iniciou a carreira como guia de turismo virtual e hoje comanda a Nexo A.I., que, em pouco tempo, se tornou um dos principais players de inteligência artificial do país, com escritório em São Paulo e Nova York. Diego vai mostrar como inovar no mundo pós-digital. Blockchain, Inteligência Artificial e Big Data, mais do que palavras da moda, são ferramentas que chegam para mudar radicalmente estruturas e sustentar novos modelos de negócios. Neste contexto, privacidade, compartilhamento federado de dados e novas habilidades profissionais são pontos a serem visitados.

Julio Begali é o líder da SMARTie, programa de Corporate Venture do Grupo Solví, maior grupo de coleta, valorização e destinação de resíduos da América Latina. Em Salvador, o Grupo atua através das Unidades de Valorização Sustentável Battre (destinação), Sotero Ambiental (coleta) e Termoverde (valorização). Ele abordará o uso das tecnologias exponenciais para potencializar a transformação digital voltada à Gestão Ambiental, além da utilização de ecossistemas de startups verdes para maximizar inovação voltada para a sustentabilidade.

Sil Bahia é co-diretora executiva do Olabi e idealizadora do PretaLab, ação de estímulo a mulheres negras nas tecnologias e inovação. É também mestre em cultura e territorialidades pela UFF e pesquisadora associada do Grupo de Arte e Inteligência Artificial da USP e do Grupo de pesquisa em Políticas e Economia da Informação e Comunicação da UFRJ. Sil Bahia contará como redes conectadas, makertspaces, tecnologias, diversidade e antigos saberes podem gerar impactos positivos na sociedade, como o projeto Protege BR. A plataforma reuniu iniciativas em todo o país que  produziram e distribuíram quase 1 milhão de face shields a profissionais na linha de frente da covid-19. 

Tecnologia e micros

Há alguns anos micro e pequenas empresas já vinham demandando do Sebrae Bahia auxílio para lidar com as novas tecnologias, conta Taiane Jambeiro, analista da instituição. Segundo ela, no entanto, as dificuldades causadas pela pandemia terminaram acelerando este processo de transformação digital para muitas empresas. 

“Aumentou o número de empresas que buscaram alternativas para não permanecerem de portas fechadas. Muitos empresários e empreendedores passaram a ter mais familiaridade com as tecnologias”, destaca. Mas as mudanças não aconteceram apenas do lado das empresas. Do mesmo modo que empresas tiveram que mudar para continuar vivas, os clientes precisaram modificar os seus hábitos de consumo. “Os clientes também mudaram. Muitos consumidores estão optando por comprar mais pela internet”, diz.  

Os impactos mais significativos foram registrados no segmento de alimentação. “Restaurantes que não podiam manter suas portas abertas continuaram atendendo graças ao serviço de delivery”. 

Para ela, o processo de transformação digital das empresas deve se manter mesmo após a pandemia. “Mesmo quando tudo reabrir e as pessoas voltarem a ter segurança para frequentar lojas, restaurantes, etc, este é um caminho meio que sem volta”, acredita. “As marcas que vão prevalecer nos próximos meses são as que conseguirem manter uma estratégia consistente nas redes sociais e forem capazes de prestar um atendimento de qualidade, entregando algo diferenciado”. 

Dicas para sobreviver no mundo digital

– Público-alvo: Conhecer a clientela é o primeiro passo para o sucesso no mundo digital. “As empresas veem grandes empresas fazendo de um modo e podem até se inspirar, mas precisam buscar oferecer algo diferente e que atenda bem o seu público. Isso só se consegue com um profundo conhecimento em relação a ele”, acredita Taiane Jambeiro, analista do Sebrae Bahia. Segundo ela, o conhecimento pode gerar inclusive redução de custos, uma vez que o empreendedor poderá ser mais assertivo em relação a que ferramentas usar.

– Engajamento: Essa é a palavra da moda no mundo digital. Mais do que ser seguido por uma multidão, o segredo do sucesso nas redes está na capacidade de engajar o público. Mas o que seria isso? “É conseguir ter a interação das pessoas. Não  adianta ter milhares de seguidores e os seus posts não serem respondidos”, explica Taiana. Para isso, sugere, é necessário oferecer algo além dos produtos em si. “É importante dar aos visitantes conteúdo. Consumidor só segue marcas em que enxerga valores. As empresas estão disputando a atenção das pessoas nas redes sociais com amigos e família”. Ela sugere uma proporção 80/20: 80% de conteúdo e 20% de venda.

Projeto de maior destaque no debate do desenvolvimento econômico e social do estado, o Agenda Bahia promove discussões sobre inovação, competitividade, qualificação e sustentabilidade, criando uma agenda propositiva e um observatório dos assuntos estratégicos para a Bahia. Depois de 10 edições, mais de 267 palestras e um público de mais de 10.700 pessoas, o projeto está em novo formato, totalmente digital.

Serviço:
Agenda Bahia 2020 | Dados da Gente
Quando: 14 de outubro de 2020
Horário:   11h
Onde:  Youtube (@correio24h)
Acesse a página do evento: agendaba2020 

O Fórum Agenda Bahia 2020 é uma realização do CORREIO, com patrocínio do Hapvida, parceria do Sebrae, apoio da Braskem, Claro, Sistema FIEB, SMARTie e SINDIMIBA e apoio institucional da Rede Bahia e GFM 90,1.

Fonte: Correio