Vídeos mostram chuva de granizo em cidade do Oeste da Bahia; meteorologista explica

O Oeste da Bahia vive dias de extremos: enquanto cidades como Barra, próximo ao Rio São Francisco, sofre com o calor intenso e os incêndios florestais, Luís Eduardo Magalhães registrou, neste sábado (10), um fenômeno raro, mas que segundo a meteorologista Cláudia Valéria, está justamente relacionada a esses extremos climáticos.

De acordo com informações da prefeitura de Luís Eduardo Magalhães, dezenas de casas acabaram danificadas (o número exato ainda será levantado) quando, pouco depois do meio-dia, começou a chuva de granizo, com duração de cerca de 20 minutos. Apesar da gravidade da situação, não há registro de feridos.

Meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Cláudia Valéria explica que a situação em LEM tem a ver, paradoxalmente, com as altas temperaturas registradas na região nos últimos dias. 

“Esse período, principalmente quando temos temperaturas muito elevadas, como é o caso do que vinha ocorrendo nas últimas semanas em toda a região do São Francisco e Oeste, e que chega bastante umidade, como foi agora – uma grande convergência de umidade que já está provocando chuvas –, essas primeiras chuvas, normalmente, estão associadas a rajadas de vento, descargas elétricas (raios) e, por vezes, também a tempestades localizadas, como é caso do granizo”, explicou ela ao CORREIO.

Ela também explicou como ocorre esse tipo de precipitação, também verificada em Salvador no primeiro dia deste ano. “O granizo é quando o processo de formação de nuvem é muito rápido porque tem muita energia disponível na atmosfera, devido às temperaturas elevadas e também a uma grande disponibilidade de umidade, que é o caso que a gente está tendo naquela região mais central do Brasil”, complementou. 

A especialista ainda alertou para a continuidade das mesmas condições climáticas até a próxima segunda-feira (12), com algumas pancadas de chuvas. 

Neste sábado, muitos moradores de LEM e região publicaram vídeos sobre o incidente. “Olhaí, gente. É chuva de gelo que tá tendo em Luís Eduardo. Muito gelo, cada um maior que o outro”, diz uma cinegrafista amadora num vídeo cedido pelo site Sigi Vilares. “Parar para não quebrar o vidro do carro. É o resultado da ação do homem”, comenta outro cinegrafista amador, a bordo de um veículo.

Confira algumas das gravações obtidas pelo site Sigi Vilares.

Fonte: Correio