Incêndios ainda tomam conta da Chapada e do Oeste baiano

O Corpo de Bombeiros começa a registrar avanços no combate aos incêndios florestais que se espalharam pelo Oeste da Bahia e Chapada Diamantina. Em Barra, 23 dias após o início das chamas, o fogo já é considerado praticametne  extinto. Em Barreiras, também não há mais fogo na vegetação e o local está em monitoramento constante. Se novos focos não surgirem nos próximos dias, o incêndio será declarado extinto.

Já em Mucugê, na Chapada Diamantina, os bombeiros conseguiram controlar o avanço das chamas. “Isso significa que nossa equipe está conseguindo dar conta e reduzir o avanço do fogo. O contrário disso era um foco incontrolável, que se alastraria de forma preocupante. No entanto, a situação ainda inspira cuidados para que o incêndio seja logo considerado extinto”, explicou o Coronel Francisco Telles.

Já em Rio de Contas, que faz parte da Chapada Diamantina, os bombeiros e brigadistas obtiveram uma melhora significativa, mas lá o fogo ainda não é considerado em controle. “Nossa equipe teve uma melhora significativa nesse combate. Mas fizemos um sobrevoo pela manhã e ainda detectamos um ponto de calor. O pessoal voltou pra fazer a contenção, mas ainda não tem uma atualização desse caso”, completou o coronel.

O mesmo acontece em Caturama, onde os bombeiros já estão no quarto dia de combate ao incêndio. Em algumas áreas, já é possível realizar o monitoramento para que não surjam novos focos. Em outras, equipes estão realizando o combate direto em pontos remanescentes.  Outra cidade baiana atingida pelo fogo é Morpará, que faz divisa com Barra. Lá o incêndio também foi combatido pelo Corpo de Bombeiros, que conseguiu reduzir as chamas. “Atualmente, tem apenas focos pequenos, que a própria brigada local está dando conta”, disse o coronel Francisco Telles.  

Em Barreiras, bombeiros militares e brigadistas debelaram um incêndio que atingiu a Serra do Mimo. Há indícios que o fogo pode ter sido causado pela ação humana. Próximo ao local, outra operação foi realizada para combater um incêndio que atingia uma área de vegetação. As chamas tomaram grandes proporções, e o trabalho se estendeu até as 17h30 do sábado. A região será monitorada por 72 horas, assim como a Serra da Bandeira, também em Barreiras, onde o fogo foi controlado na sexta.  

Um fator que ajudou os bombeiros e brigadistas nesse combate foi a favorável mudança climática da região, nesse fim de semana. “Choveu em Mucugê, Rio de Contas, no Oeste, e isso contribuiu sim”, afirmou o coronel. O tempo seco e as altas temperaturas que são registradas na região nesse mês de outubro favorece a ocorrência dos focos.

*Com orientação do chefe de reportagem Jorge Gauthier

Fonte: Correio