Dois baianos são reconhecidos entre as 100 pessoas de descendência africana mais influentes do mundo

A promotora Lívia Maria Sant’Anna Vaz, do Ministério Público da Bahia, e o dentista Arthur Igor Cruz Lima, fundador da startup AfroSaúde, foram reconhecidos, nesta sexta-feira (16), como uma das 100 Pessoas Mais Influentes de Descendência Africana (Mipad), em apoio à Organização das Nações Unidas (ONU). Lívia aparece na lista na categoria Grandes Mentes Jurídicas pelo seu trabalho no combate ao racismo e à intolerância religiosa, e Arthur na categoria Heróis da Saúde, pela solução tecnológica de serviços de saúde voltados para a comunidade negra.

O Mipad é uma iniciativa que identifica grandes atores de ascendência africana que têm dado contribuições positivas em todo o mundo com o objetivo de fazer com que se unam no espírito de reconhecimento, justiça e desenvolvimento da África, tanto para o povo presente no continente quanto para aqueles em diáspora. “É uma grande honra fazer parte deste poderoso quilombo da África e da Diáspora Africana”, escreveu a promotora. 

Surpreso com o título, Arthur Igor comentou sobre o sentimento de felicidade de integrar a lista mundial. “Tem pouco mais de um ano que decidi criar o AfroSaúde, então para mim é muito bacana [o reconhecimento], nunca imaginei que seria indicado. Eu estava trabalhando e recebi um e-mail. Fiquei muito feliz porque vi que o esforço que a gente tem feito, que é de um propósito maior, às vezes chegamos a pensar que não está causando impacto, mas na verdade está, só não sabemos mensurar”, disse.

Estes reconhecimentos estão inseridos na agenda da Década Internacional das Nações Unidas para Afrodescendentes, que iniciou em 2015 e seguirá apresentando estas lideranças até 2024. 

Fonte: Correio