A mulher que aparece em um vídeo que viralizou na internet essa semana, sendo agredida por um homem com vários socos, em Ilhéus, no sul da Bahia, desabafou sobre o ocorrido pela primeira vez, em uma rede social, neste final de semana. As informações são do site G1 e da TV Bahia. Em um post no Instagram, a mulher, identificada pelo G1 como Franciele Azevedo, de 26 anos, contou que vivia um relacionamento abusivo com Carlos Samuel Freitas e que já sofreu várias agressões dele. O homem de 33 anos teve prisão preventiva decretada, mas até a noite deste sábado, 17, continuava foragido da polícia.

“Me chamo Franciele Azevedo o vídeo que está circulando, onde apareço sendo agredida sou eu. Portanto demorei para me posicionar pelo fato, que sempre achava ele iria mudar onde permaneci por um tempo no relacionamento abusivo, pois o mesmo depois de todas as vezes que me agredia me pedia desculpas e falava que não lembrava o que tinha feito e nem o porque tinha feito e no final a culpa era sempre minha”, desabafou a vítima em um post feito na noite de sexta-feira (16).

Na publicação, Franciele conta ainda que teve dificuldades para falar das agressões, que provocaram nela dores físicas e emocionais. “Não é fácil para mim vim aqui falar sobre esse assunto onde várias pessoas me julgam, como se eu merecesse e sempre me culpando pelas as agressões, minha única culpa foi pensar que um dia ele mudaria, mas n mudou. Onde sofri pressões psicológicas, sigo hoje cheio de problemas e dores que essas agressões me causaram”, disse.

Ao G1, Franciele contou que conheceu Carlos Samuel pelas redes sociais, no final de março deste ano. No início do relacionamento, o homem não tinha comportamento agressivo, acrescentou: “No início ele não era assim. Com o passar do tempo, mostrou quem era ele”, disse à reportagem do G1.

Ainda de acordo com o relato de Franciele para o G1, no dia da agressão que foi filmada, ela tinha ido a uma festa com Carlos Samuel e que as agressões começaram quando os dois deixaram o local a pedido dela, pois ele havia bebido bastante. “Ele já estava bêbado, eu chamei ele para ir pra casa. Ele disse que eu não ia, eu falei que iria só”, lembrou.

Carlos saiu da festa com Franciele na moto pilotada por ele e, quando a mulher se preparava para descer da motocicleta, houve a primeira agressão. A situação mostrada no vídeo aconteceu no dia 20 de junho.

Prisão decretada e outras vítimas

De acordo com a TV Bahia, Carlos Samuel Freitas, que é representante comercial, teve a prisão preventiva decretada na quinta-feira (15), e está foragido desde a sexta-feira (16), quando a polícia fez buscas em endereços ligados a ele, mas não o encontrou.

Ele chegou a prestar depoimento na Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher (Deam), em Ilhéus, na quinta-feira (15), mas foi liberado por não haver flagrante e porque ainda não existia mandado de prisão contra ele. O mandado foi expedido na noite de quinta.

À TV Bahia, outra ex-namorada de Carlos Samuel falou sobre o comportamento agressivo dele. Ela contou que não foi agredida fisicamente, mas foi ameaçada pelo suspeito. Emocionada ao ver o vídeo com as agressões à Franciele, a mulher disse que “teve um livramento” por não passar pela mesma situação. Ainda segundo o relato, ela registrou o caso na polícia e conseguiu uma medida protetiva contra Carlos.

“Ele nunca me agrediu, mas as ameaças dele eram que ele ia atrás de mim onde eu estivesse. Onde ele me visse, que ia passar por cima de mim. Eu procurei a Deam, abri o registro e eles me ajudaram, me auxiliaram, abriram uma medida protetiva para mim. Foi aí que eu me acalmei, foi quando ele deu uma sumida também”, relatou.

Sobre o vídeo com as agressões a Franciele ela disse: “Eu vi aquele vídeo e vi que foi um livramento eu ter rompido esse relacionamento com ele, porque poderia ter acontecido coisa pior”. 

Registros na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Ilhéus mostram que Carlos Samuel Freitas tem um longo histórico de agressões a ex-namoradas e mulheres da própria família, inclusive sua mãe, que já prestou queixa contra ele. Segundo levantamento do G1, são pelo menos 11 boletins de ocorrência contra o homem.

Fonte: Correio