Atendimento da população, investimento permanente

Ao final de 2020 encerraremos um ciclo com a Prefeitura de Salvador, um ciclo de grandes transformações principalmente no âmbito da saúde. E um dos principais avanços alcançados ao longo desta gestão é o controle da demanda reprimida e a redução do tempo acesso aos procedimento de saúde para os cidadãos da nossa cidade. 

É bem verdade que saúde pública é fonte de grades desafios para o gestor de qualquer município, porém através do comprometimento e empenho no fortalecimento da rede própria conquistamos muitas vitórias; investimos no aumento do número de Multicentros e na construção do primeiro Hospital Municipal de Salvador. Com a reorganização da oferta da rede complementar via realização de Chamamentos Públicos, lutamos para garantir que o acesso aos serviços de saúde chegasse mais rápido ao cidadão.

O resultado disso pode ser traduzido nos números que apontam, por exemplo, o avanço da oferta de procedimentos de média e alta complexidade, além das consultas com especialistas, reduzindo assim as tão indesejadas filas de espera. Sabemos que ainda há muito a avançar, e esse emprenho seguirá firme, com isso trago aqui um breve balanço de todo este trabalho.

No quadro de média complexidade, que envolve serviços como consultas hospitalares e ambulatoriais, exames e alguns procedimentos cirúrgicos, saímos da marca de pouco mais de 24 milhões de serviços realizados pela rede municipal em 2013, para um total de de 35,7 milhões de procedimentos, no ano passado. Um aumento absoluto de 46%. 

Um exemplo disso é a redução do tempo de espera do cidadão por consultas com especialistas, saímos da marca de cerca 600 mil consultas realizadas em 2013, para 1,3 milhões em 2019. Já a Ultrassonografia Obstétrica, que também apresentava queda na oferta via Sistema Vida+, pela dificuldade de contratação desse procedimento pelo valor oferecido na Tabela SUS, virou prioridade e investimos em ações de controle e de monitoramento mais de perto, melhorando assim esse quadro em 2019.

O cenário de alta complexidade, por sua vez, que envolve procedimentos de maior tecnologia e alto custo, manteve-se praticamente constante em termos de ampliação, à exceção dos anos de 2017 e 2018, quando aumentamos em 14% e 21% respectivamente. Em 2019, essa produção retornou ao patamar original. Além disso, esse crescimento é mais evidente nos procedimentos clínicos.

Entre os serviços de Alta Complexidade, quero destacar o aumento da oferta da Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética, que foram determinantes para a redução da demanda histórica reprimida, registrada na Central Municipal de Regulação. 

O município também ampliou os investimentos aplicados nas tabelas de incentivos com aporte de recursos próprios. Por ano, a Prefeitura aloca mais de R$65,5 milhões somente em incentivos municipais, número que corresponde a 19% do orçamento global previsto para Saúde.

De olho no investimento contínuo na melhoria do atendimento à população, nossa rede será reforçada por dois multicentros de saúde que serão entregues em parceria com o Governo do Estado, nos bairros de Narandiba e Escada. Serão estruturas amplas e bem equipadas que vão ofertar diversas especialidades como Anestesiologia, Angiologia, Cardiologia, Cirurgia geral, Coloproctologia, Dermatologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Geriatria, Ginecologia Clínica e Obstetrícia, Hepatologia, Mastologia, Nefrologia, Neurologia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Pneumologia, Reumatologia e Urologia, consultas/atendimentos com equipe multiprofissional, realização de procedimentos em diagnose (laboratório de análises clínicas, laboratório de anatomopatologia e citopatologia, exames gráficos e de bioimagem), procedimentos cirúrgicos de pequeno porte.

Como disse antes, sabemos que os desafios são grandes e reconhecemos o quanto ainda temos a avançar, porém não me resta dúvida que estamos no caminho certo e que seguiremos trabalhando incansavelmente para fortalecer cada vez mais a saúde de Salvador e o bem estar dos soteropolitanos.

*Leo Prates é secretário de Saúde de Salvador e deputado estadual licenciado.

Fonte: Correio