Ministro da Saúde elogia cloroquina e ri após crise da vacina: 'Um manda e outro obedece'

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizou nesta quinta-feira (22) uma transmissão ao vivo ao lado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que foi diagnosticado com covid-19 na última terça-feira (20). A visita aconteceu depois de um desentendimento sobre a compra da vacina Coronavac, da China – o ministro chegou a anunciar a compra do produto, mas foi desautorizado pelo presidente. No vídeo desta quinta, contudo, o titular da pasta da saúde afirmou que “É simples assim, um manda e o outro obedece. Mas a gente tem um carinho”. Os dois riram juntos na gravação.

Nessa quarta-feira (21), Bolsonaro desautorizou Pazuello e afirmou que “a vacina chinesa não será comprada”. O ministro havia anunciado, em reunião com governadores, que a pasta assinou protocolo de intenções com o Butantã para a compra de 46 milhões de doses da Coronavac. Como justificativa para sua decisão, o presidente afirmou não acreditar “que vacina chinesa transmita segurança pela sua origem”.

Ainda durante o encontro, Bolsonaro aproveitou para elogiar Pazuello publicamente. O presidente afirmou que o general pode ser considerado “um dos melhores ministros da Saúde que tivemos”. Comentando sobre o desentendimento, Bolsonaro disse que “Falaram que a gente estava brigado, no meio militar é comum acontecer isso aqui, algum choque, algumas coisas. Não teve problema nenhum”.

Recuperação

Com estado de saúde considerado estável, segundo a última nota divulgada pelo Ministério da Saúde, Pazuello afirmou estar utilizando a hidroxicloroquina, annita e azitromicina em seu tratamento contra a doença. O ministro da Saúde declarou estar se sentindo bem e que pretende voltar ao trabalho na próxima semana. O presidente aproveitou a fala do general para comentar que “É mais um caso que a hidroxicloroquina deu certo”.

Atualmente, nenhum dos remédios utilizados pelo ministro possui eficácia comprovada no tratamento da covid-19. Pazuello afirmou que os testes com a hidroxicloroquina estão em níveis avançados e que o medicamento caminha para a comprovação.

Fonte: Correio