Sorteio da Sul-Americana é hoje; veja panorama de possíveis rivais do Bahia

Demorou mais do que o esperado, mas nesta sexta-feira (23) o Bahia finalmente vai conhecer o adversário na segunda fase da Copa Sul-Americana. A partir do meio-dia, será realizado na sede da Conmebol, que fica na cidade de Luque, no Paraguai, o sorteio que definirá os confrontos da competição internacional.

Por causa da pandemia do novo coronavírus e da paralisação do futebol em todo o continente, as competições da Conmebol acabaram sendo adiadas. No caso da Sul-Americana, o retorno foi postergado por um tempo ainda maior após a realização da primeira fase. Isso porque o torneio depende diretamente da Libertadores.

Para compor a segunda fase, a Sula soma as 22 equipes classificadas da primeira etapa a outras dez provenientes da Copa Libertadores (os oito terceiros colocados na fase de grupos e as duas melhores equipes eliminadas na fase preliminar).

No sorteio que definirá os confrontos, os 32 times estarão separados em dois potes com 16 clubes cada. No pote 1 ficam as equipes que chegaram da Libertadores e as seis agremiações com melhores campanhas na primeira fase da Sul-Americana. É nesse pote que o Bahia está depois de passar pelo Nacional-PAR com duas vitórias (3×0 na ida e 3×1 na volta). A boa campanha fez o Esquadrão evitar confrontos com times mais fortes como São Paulo, Junior Barranquilla e Peñarol, todos recém-eliminados da Libertadores.

Assim, o adversário do tricolor sairá do pote 2, que reúne as outras 16 equipes. Dessa forma, é possível determinar quem o Esquadrão pode encontrar na segunda fase do torneio e traçar um panorama sobre a dificuldade de cada equipe. A fórmula de disputa segue a mesma: mata-mata com jogos de ida e volta até a semifinal. A decisão será em jogo único e será disputado em janeiro de 2021, na cidade de Mendoza, na Argentina.

As partidas de ida da segunda fase estão previstas para acontecer entre os dias 27 e 29 de outubro. Já a volta ocorrerá na semana seguinte, de 3 a 5 de novembro.

Argentinos e colombianos: melhor evitar
Baseado na força da liga e tradição de cada país, os argentinos talvez sejam os adversários mais complicados que podem entrar no caminho do Bahia no sorteio de hoje.

A lista de hermanos no pote 2 reúne equipes de força no cenário internacional. Com exceção do Unión Santa Fé, que passou pelo Atlético-MG na primeira fase, o Lanús já foi finalista da Libertadores em 2017 e campeão da própria Sul-Americana em 2013, quando venceu a Ponte Preta na final. Já o Vélez Sarsfield levantou a Libertadores de 1994 ao bater o São Paulo. 

Junto a eles está ainda o Independiente, maior campeão continental, com sete Libertadores e dois títulos da Sula – sobre o Goiás em 2010 e Flamengo em 2017. Na primeira fase, o ‘Rei de Copas’ eliminou o Fortaleza.

Pesa contra os argentinos o fato de não estarem em atividade. O futebol no país foi encerrado em março, no início da pandemia. A previsão de retorno da primeira divisão é para o início de novembro.

Por falar em campeões, é bom ficar de olho também nos colombianos. Pela frente o tricolor pode encarar Atlético Nacional ou Millonarios, dois times de tradição no país vizinho.

Até pouco tempo o Nacional vivia anos de glória no continente. Venceu a Libertadores de 2016 sobre o Independente del Valle e no mesmo ano foi vice da Sul-Americana ao ceder o título à Chapecoense após o trágico acidente aéreo que matou 71 pessoas.

Já o Millonarios é o segundo maior vencedor de títulos na Colômbia, atrás apenas do próprio Nacional. O time não vive os melhores momentos da sua história, que chegou a contar com o argentino Di Stéfano no elenco, mas costuma ser forte no estádio El Campín, em Bogotá. 

O futebol na Colômbia foi retomado em setembro. Atualmente o Atlético Nacional é o quinto colocado no Apertura, enquanto o Millonarios é apenas o 17º entre 20 clubes. 

Mais fáceis na teoria
Com menos tradição e em teoria mais fáceis diante do nível técnico do Bahia, aparecem equipes do Paraguai, Peru, Uruguai e Chile.

Entre os chilenos, quem mais chama a atenção é o Unión La Calera. Sediado na cidade que leva o mesmo nome, a equipe participa da Sul-Americana pela terceira vez. Em 2018, eliminou a Chapecoense na primeira fase. No ano passado caiu para o Fluminense.

No currículo o clube conta apenas com títulos da segunda divisão do país e sua maior fama é por ter revelado o craque chileno Elías Figueroa – zagueiro e ídolo do Internacional na década de 1970. Este ano, o La Calera é o atual líder da primeira divisão. Estão no pote 2 ainda os modestos Coquimbo Unido (14º na liga nacional) e Audax Italiano (7º).

Partindo para o Paraguai, os adversários não são lá complicados. O Sol de América, que eliminou o Goiás na primeira fase, foi apenas o 10º colocado entre 12 equipes no último torneio Apertura. Já o Sportivo Luqueño foi o 8º.

A situação é semelhante no Peru. Os representantes no pote 2 são Melgar e Sport Huancayo. A preocupação maior para o Bahia aqui estaria na logística da viagem e na altitude das cidades onde as equipes são sediadas. Enquanto o Melgar manda os jogos em Arequipa, 2.300 metros acima do nível do mar, Huancayo está a 3.259 metros de altitude.

Mais tradicional quando o assunto são as competições internacionais, o Uruguai está representado no pote 2 por equipes pouco conhecidas do torcedor brasileiro. Apesar de centenário, o Fénix pode ser descrito como um clube de bairro de Montevidéu. Soma apenas títulos da segunda divisão do país.

Já o Plaza Colonia tem sede na famosa e turística Colonia del Sacramento e voltou a disputar a primeira divisão uruguaia no ano passado após conseguir o acesso em 2018.

O Bahia pode ter ainda um adversário brasileiro no caminho. Junto com o próprio tricolor, o Vasco conseguiu avançar à segunda fase depois de passar pelo boliviano Oriente Petrolero e integra o pote 2.
 

Os potes do sorteio da Sul-Americana*:

Pote 1

Bahia
São Paulo
Defensa y Justicia (ARG)
Atlético Tucumán (ARG)
Bolívar (BOL)
Huachipato (CHI)
América de Cali (COL)
Deportivo Cali (COL)
Junior Barranquilla (COL)
Tolima (COL)
Emelec (EQU)
Liverpool (URU)
Peñarol (URU)
River Plate (URU)
Caracas (VEN)
Estudiantes de Mérida (VEN)

Pote 2

Vasco
Independiente (ARG)
Lanús (ARG)
Unión Santa Fe (ARG)
Vélez Sarsfield (ARG)
Audax Italiano (CHI)
Coquimbo Unido (CHI)
Unión La Calera (CHI)
Atlético Nacional (COL)
Millonarios (COL)
Sol de América (PAR)
Sportivo Luqueño (PAR)
Melgar (PER)
Sport Huancayo (PER)
Fénix (URU)
Plaza Colonia (URU)          

*Cada time do pote 1 enfrentará um do pote 2.

Fonte: Correio