Estações de transbordo voltam a ter 100% da frota de ônibus nos horários de pico

As frotas de ônibus que atendem às estações de transbordo voltam a partir desta terça-feira (27) a rodar com 100% da capacidade nos horários de pico, segundo anunciou o prefeito ACM Neto em coletiva on-line.

Os horários de pico são das 5h30 às 8h30 e das 16h30 às 19h30. Funcionarão com 100% as 43 linhas da estação Pirajá, com frota de 309 ônibus; 37 linhas da estação da Lapa, com 259 ônibus; 25 linhas daestação Mussurunga, com 165 ônibus, e 20 linhas do Acesso Norte, com 104 ônibus. 

Com isso, dos 2214 ônibus da frota total de Salvador, 1900 estarão circulando. “Esses 314 voltarão à medida que a demanda continuar aumentando. Especialmente me refiro à volta da educação. À medida que voltarem as aulas, esses ônibus voltarão”, diz, afirmando que deve tratar de mais detalhes sobre a retomada das aulas esta semana.

Salvador terá também operações assistidas, que vão atuar em algumas das principais avenidas da cidade – Suburbana, Avenida São Rafael e Avenida Silveira Martins – para reforçar a oferta de ônibus quando necessário, com ações táticas e de direcionamento específico.

O prefeito apresentou números que mostram que houve uma redução de 66% da demanda de passageiros de março a julho, comparando com o período pré-pandemia. Com a retomada de atividades econômicas, houve recuperação de apenas 26% da demanda, de agosto a outubro. 

Ele falou do rombo deixado nas contas da prefeitura por conta dos problemas com o transporte público. Foram gastos R$ 107 milhões na operação para impedir colapso do sistema – R$ 5 milhões, em compra de vale-transporte para uso em programas sociais pós-pandemia, R$ 55 milhões com intervenção na concessionária CSN e R$ 47 milhões com a indenização da diferença entre os custos operacionais e a arrecadação do sistema.

Neto descartou a possibilidade de aumento o preço da passagem. “Está descartado o aumento de tarifa. Não há hipótese da prefeitura colocar um centavo a mais na tarifa, onerando as pessoas. Porque a gente sabe que o passageiro não tem como pagar essa conta”, disse o prefeito.

Fonte: Correio