Vitória corre risco de fechar turno com mesma pontuação que em 2019

A fase do Vitória é complicada. Já são sete jogos sem vencer na Série B, com tropeços inclusive para times em situação mais crítica e abaixo na tabela. Como no compromisso anterior, quando perdeu para o Botafogo-SP, vice-lanterna, por 2×1. A uma rodada do fim do primeiro turno, o Leão precisa melhorar seu rendimento para não repetir a campanha do ano passado, em que passou boa parte da competição lutando contra o rebaixamento. Atualmente, as duas já se assemelham.

Em 2019, quando a 19ª rodada foi finalizada, o rubro-negro tinha cinco vitórias, cinco empates e nove derrotas. Somava 20 pontos. É a mesma pontuação que possui hoje, porém após 18 partidas. Dessa forma, se perder do Brasil de Pelotas, o Leão fechará o turno com a mesma pontuação que no ano passado.

Essa semelhança passava bem longe até pouco tempo. Na edição atual, ao fim da 11ª rodada, o Vitória tinha 17 pontos (4 triunfos, 5 empates e 2 derrotas). Era mais que o dobro do que na mesma altura de 2019, quando somava apenas 7 pontos (2 triunfos, 1 empate e 8 derrotas).

A aproximação entre as campanhas se deu à medida que o jejum de vitórias foi se estabelecendo. Sem ganhar há sete partidas, o Leão fez somente três pontos nesse período, um aproveitamento de 14,3%.

Para espantar esse fantasma da briga contra o rebaixamento, vencer a última partida do primeiro turno é fundamental. Se ganhar, o Leão chegará aos 23 pontos e pode até subir para a 12ª posição, caso Guarani e Operário-PR não ganhem seus respectivos confrontos. Seria uma colocação bem mais segura que a de 2019, quando, ao fim da 19ª rodada, estava em 16º.

O jogo contra o Brasil de Pelotas está marcado para sexta-feira (30), às 19h15, no Barradão. Uma vantagem ao Leão, que tem campanha em casa bem melhor do que fora. Já foi, inclusive, o melhor mandante da Série B e chegou a ter rendimento de 86,7% em seu estádio, mas perdeu o posto após ser superado por CSA (1×0), América-MG (2×1) e Avaí (2×1) e empatar com o Guarani (1×1). Hoje, o aproveitamento em Salvador é de 51,9%. Fora é de 22,2%.

Com os 23 pontos, dá para voltar até a sonhar com o acesso. O cenário é remoto, é bem verdade – atualmente, a chance de classificação para a Série A é de 1,7%, segundo os cálculos do departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) -, mas não é impossível. Aliás, em 2016, o Avaí fechou o turno inicial com 23 pontos, engatou uma campanha incrível com 75% de aproveitamento e conseguiu terminar a Série B na vice-liderança, com 66 pontos.

Atualmente, também de acordo com a UFMG, 61 pontos dão a um time 94,5% de possibilidade de subir. Se o Vitória encerrar as 19 primeiras rodadas com 23 pontos, precisará fazer 38 nos 19 duelos seguintes para alcançar essa pontuação – rendimento de 66,7%. 

Fonte: Correio