Mano explica escolha por volantes e lamenta erro no contra-ataque

O primeiro tempo do Bahia na derrota para o Melgar, por 1×0, pelo jogo de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana, na noite desta quinta-feira (29), em Lima, no Peru, foi aquém do esperado. Burocrático, o Esquadrão abusou de errar passes e não conseguiu colocar em prática a estratégia de jogar em contra-ataques. Após a partida, o técnico Mano Menezes explicou a escolha por Ramon, formando uma trinca de volantes ao lado de Gregore e Elias, deixando o meia Daniel no banco.

Segundo o treinador, a ideia era ter um jogo mais físico no primeiro tempo e explorar as características técnicas de Daniel na segunda etapa, diante de um adversário teoricamente mais cansado.

“Jogos por torneios sul-americanos criam uma dificuldade na primeira partida. Naturalmente o Melgar queria nos impor pressão. O futebol são escolhas, Daniel não teve tanta força física para essa primeira parte, queríamos dar a ele mais oportunidade, mais técnica no jogo espaçado. Mas não vou dirigir as dificuldades que temos para um ou outro. A equipe precisa saber se comportar com várias maneiras. Agora temos que reverter a situação”, disse Mano.

“Quando sofremos o gol estávamos com uma equipe mais ofensiva, sofremos o gol de contra-ataque, em um momento que não poderíamos mais ceder. Talvez esse tenha sido o nosso maior erro”, continuou o treinador.

Questionado por não ter iniciado a partida com o mesmo time que conseguiu a virada sobre o Atlético-MG, por 3×1, em Pituaçu, pelo Brasileirão, Mano afirmou que a circunstância de jogo contra o Melgar era outra. Naquela ocasião, Daniel e Gilberto mudaram a partida no segundo tempo.

“Era outro jogo, outra circunstância. Aquela formação serviu para aquele momento, talvez para o jogo de volta, precisamos reverter o mesmo 1×0 do Atlético-MG, mas são jogos diferentes. O Melgar não criou muito no segundo tempo, quase nada, mas aproveitou a chance que teve, assim como nós também poderíamos ter aproveitado”, disse.

Ainda em sua análise, Mano Menezes afirmou que não acredita em placar injusto em Lima, já que o tricolor perdeu boas chances de gol e diz que acredita que a equipe tem força para reverter a vantagem peruana e sair classificado no jogo da Fonte Nova.

“Futebol é assim. Não é um jogo de justiça, mas de bola no gol. O Melgar teve a felicidade de fazer uma jogada que no segundo tempo já não encontrava mais espaços para fazer. Poderíamos ter feito naquele momento do jogo, mas não fizemos. Ensinamentos de um torneio parelho como é a Sul-Americana. Agora vamos ter que reverter em casa, em Salvador. Acredito que temos força para isso”, finalizou.

Fonte: Correio