Quem quer panetone? Marcas lançam novas versões e abrem temporada de pedidos

Muita gente ainda não deve nem ter tirado a árvore de Natal do armário, mas, a produção de panetones já começa a movimentar a preparação para as festas de fim de ano. Mal o mês de novembro chegou, as confeitarias e grandes redes já começam a colocar a mão na massa, e confiantes que nenhuma pandemia vai impedir o espírito natalino de garantir o item que é tradição, desde a com passas e frutas cristalizadas até aqueles que transbordam no recheio.

Entre as marcas que o CORREIO ouviu e que tem esse valor definido, os preços estão variando de R$ 6,99 a R$ 65, a depender do tipo e tamanho. Muitas delas também, estão apostando em novas versões para conquistar o público.
O GBarbosa (@gbarbosa_oficial), inclusive, é uma das redes que vai fabricar mais panetone do que no ano passado. Serão produzidas 140 toneladas, com expectativa de crescimento nas vendas de 15%. Serão 6,5 mil unidades a mais, em comparação ao último Natal e devem custar a partir de R$ 6,99.

“Esse Natal será diferente dos outros. O desejo de comemorar a vida e o significado de união estarão mais fortes entre os familiares, que vão tornar a data ainda mais especial, compartilhando com aqueles que realmente importam”, destaca a compradora comercial de Padaria do GBarbosa, Anna Cláudia Oliveira.

A Perini (@perini_oficial) também adiantou que vai produzir 31,5 mil unidades até final de dezembro. Os preços são a partir de R$ 12,99. Além dos mais conhecidos nas versões de 80g, 400g e 1kg, e do chocotone, feito com chocolate belga de 500g, a rede vai lançar dois sabores: o de ameixa e o Tortano, de calabresa com azeitona, ambos com 500g.

E as confeitarias também estão se preparando para lançar seus cardápios e abrir a temporada de encomendas. Priscilla Diniz (@priscilladiniz) libera os pedidos no dia 10 de novembro, quando também será aberta a venda via-e-commerce nas plataformas de delivery. As encomendas também podem ser feitas pelo Whatsapp e nas lojas da Pituba, do Shopping da Bahia e Shopping Barra. Serão produzidas 3 mil unidades de panetone esse ano, além de outros produtos clássicos da Natal da confeitaria, como o Panforte e os doces natalinos.

Os Chocotones Olho de Sogra e Queijadinha Cremosa estão entre as novidades. Segundo a confeiteira e empresária Priscilla Diniz, com versões a partir de R$ 65, os produtos não sofrerão reajuste.

“Diante do momento que todos estamos vivendo e mesmo com o aumento da matéria-prima que chegou até a 42%, decidimos manter os valores de 2019. Quanto maior a acessibilidade do consumidor aos produtos, maior será a venda. Tenho visto que as demonstrações de afeto, através de doces e mimos, só aumentaram nessa pandemia”, pontua.

Lá vem o Natal

A Coffeetown vai começar as vendas dia 15 de novembro
(Foto: Divulgação)

Na Coffeetown Salvador (@coffetownsalvador), as encomendas começam dia 15 de novembro com pronta entrega a partir de 1º de dezembro. O bistrô também apostou em um novo sabor: o Red Velvet banhado no chocolate branco e vai aceitar encomendas corporativas com panetones em formatos variados. “A Red Velvet é uma dos produtos mais pedidos da nossa confeitaria. Pensamos que tê-lo num formato especial para o fim do ano seria uma ótima opção para nossos clientes”, reforça a sócia Renata Sampaio.

O Grand Cru (@grandcrusalvador) é mais uma marca que começa a disponibilizar os panetones nas lojas no dia 15 de novembro. Um dos sabores é de Vinho do Porto. “Estamos com a expectativa muito boa. Sabemos que o mercado não está 100% aquecido ainda, mas sabemos da importância simbólica das festas de fim de ano. Por isso, além dos panetones em dois tamanhos, vamos montar também kits que atendam diferentes orçamentos, não deixando ninguém sem brindar a data”, ressalta o franqueado da Grand Cru, Lucas Normande.

 O panetone de Vinho do Porto é a aposta da Grand Cru
(Foto: Divulgação)

O Atelier Bombom (@atelierbombom) está em fase de teste de novos sabores, mas a previsão é que o cardápio seja lançado na segunda quinzena do mês. A proprietária do Ateliê Bombom, Adriana Pinheiro confirmou que dois dos sabores mais vendidos estão mantidos: doce de leite com nozes e brigadeiro com avelãs. “A procura se intensifica normalmente em novembro. A nossa produção é artesanal, por isso nosso panetone tem edição limitada e a maior parte é feita sob encomenda prévia”.

No caso da Confeitaria Le Lapin (@lelapin.ba), a procura começou ainda no mês de agosto, porém, o lançamento do cardápio deve acontecer até o final de novembro. Em 2019, em menos de quinze dias a agenda foi encerrada por atingir o limite de produção, que ficou em 500 unidades (200 panetones maiores e 300 na versão mini), como afirma a sócia Cecília Moura.

A Confeitaria Le Lapin abre a agenda de encomendas até o final do mês
(Foto: Divulgação)

“Queremos vender tudo antes do Natal. Este ano faremos um pouco mais da quantidade grande e, mais ou menos, a mesma quantidade de mini. Sempre tem alguns clientes que deixam para última hora e nós, infelizmente, não conseguimos atendê-los. Entretanto, os nossos clientes mais antigos sempre se antecipam. Inclusive alguns deles já querem garantir o espaço na agenda, mas só fazemos os agendamentos quando o cardápio já está pronto”, acrescenta.
 

Fonte: Correio