Polícia conclui inquérito de agressão contra cabeleireiro e indicia dois acusados

O caso da agressão contra o cabeleireiro Rauan Pereira dos Santos, de 29 anos, foi encerrado pela Polícia Civil. O inquérito do crime foi concluído pela delegacia e enviado no dia 29 de outubro ao Ministério Público da Bahia (MP-BA). Nesta terça-feira (3), o documento foi distribuído ao promotor de Justiça Elmir Duclerc, que analisará o caso. Também nesta terça completa 14 dias que Rauan Pereira segue em coma em estado grave no Hospital Geral do Estado (HGE). 

Cabeleireiro Rauan Pereira está internado em estado grave (Fotos: Reprodução/Redes sociais)

De acordo com a polícia, um adolescente de 16 anos foi apreendido e um jovem de 19 anos identificado como Erisson Tiago dos Santos Silva terminou preso. Ambos confessaram que cometeram o crime de tentativa de latrocínio contra o rapaz. Eles apedrejaram e esfaquearam o cabeleireiro na casa dele no bairro de Vila Rui Barbosa, em Salvador. Para a 3ª Delegacia (Bonfim), não há indícios de participação de outras pessoas. 

Os dois acusados foram encontrados pela Polícia Militar com a moto e alguns pertences de Rauan no sábado (24), no bairro do Uruguai. Na última segunda-feira (26), Erisson teve a prisão preventiva decretada, de acordo com informações no site do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Os suspeitos não têm passagens pela polícia. 

Rauan teve os dois pulmões perfurados e segue internado na UTI do Hospital Geral do Estado (HGE). Ele está em coma induzido e o seu estado de saúde ainda é grave, segundo parentes. 

Polícia Civil disse que o adolescente foi encaminhado para a Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI), onde foi realizado um Boletim Circunstanciado de Ocorrência (BOC) e seguiu para a Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude do Ministério Público do estado (MP-BA). Já Erisson foi apresentado na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV), com a motocicleta da vítima, onde foi autuado em flagrante.

Apesar de a polícia ter encontrado conversas de Rauan marcando um encontro com dois homens na semana em que foi atacado, a irmã dele, a motorista Naiara Pereira, 39, disse que o cabeleireiro não conhecia os acusados. “Meu irmão não levava desconhecidos para casa dele, ainda mais um adolescente. Só quem frequentava a casa era a família e os amigos. Ele tem o hábito de compartilhar tudo o que fazia, com quem anda, com os amigos mais próximos e nenhum deles disse que meu irmão conhecia esses caras”, declarou Naiara.  

Ela acredita que, no dia, o irmão pode ter sido seguido. “Alguém já estava de olho nele, observando ele entrar e sair dentro de casa e aproveitou para abordá-lo. Os vizinhos viram dois homens bancos, altos e fortes. Um deles, o maior de idade (Erisson), bate com as características”, disse ela. 

Na manhã dessa segunda-feira (26), Naiara foi à DRFRV para saber de mais detalhes sobre a investigação. “A polícia não passou mais nada para não comprometer a apuração, mas vi a moto do meu irmão lá na DRFRV. A moto está descaracterizada. Sem a placa, sem o retrovisor e sem a carenagem”, contou. 

Fonte: Correio