Lavador de carro é morto no Rio Sena; ele deixa ex-esposa grávida

O lavador de carros Valmir Borges Telles, 51, foi morto a tiros, na Rua Nilton Lopes, no bairro de Rio Sena, na última terça-feira (3). Ele deixou quatro filhos e ainda esperava o quinto, da ex-esposa, que mora no interior. A família ainda não sabe o que motivou o crime. Segundo eles, Valmir era uma pessoa tranquila e de muitos amigos. No entanto, de acordo com informações iniciais da Polícia Civil, o lavador teria sido executado por traficantes que suspeitam que ele era responsável por fazer denúncias do grupo. O corpo está no Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com um dos filhos da vítima, que pediu para não ser identificado, Valmir, que morava sozinho após a separação da esposa, era uma pessoa de bem. “Ele era uma cara gente boa e que não era envolvido com nenhum tipo de crime. Meu pai era tranquilo e nunca teve muito problema com ninguém. Quando soubemos da notícia, não entendemos o motivo pra terem matado ele”, disse o rapaz, que foi ao Instituto Médico Legal retirar o corpo de Valmir.

Além do filho que foi buscá-lo, Valmir era pai de mais um rapaz e duas moças. Assim como filho, o sobrinho da vítima, que também não quis se identificar, falou em como o tio era uma pessoa do bem. “Ele era uma pessoa muito brincalhona, muito tranquila, que se dava bem com todo mundo. Tinha muitos amigos e nunca esteve envolvido com essas coisas. Por isso, a gente não entende o que aconteceu. Era uma pessoa alegre e que conversava com todos”, afirmou, enquanto lamentava a morte de Valmir.

Questionado sobre a motivação do crime apontada pela polícia após as investigações preliminares, o sobrinho se mostrou surpreso e informou que não sabia de nada sobre o assunto. “Não, a gente não tinha ideia sobre isso. Quando fiquei sabendo da morte, fiquei sem entender nada, porque ele nunca foi envolvido com isso e nem dava informações pra ninguém pelo que a gente sabe. Sobre quem foi, a gente também não sabe. Não sei de nada, só tô tentando agilizar as coisas aqui pra que enterrar o meu tio”, contou.

Em nota, a Polícia Civil informou que equipes da 3ª Delegacia de Homicídios solicitaram guias de remoção, de perícia no local do crime e estão apurando a autoria e a motivação do crime que tirou a vida de Valmir.

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

Fonte: Correio