Matheus Frizzo deve ser titular na estreia do returno: 'Estou me sentindo bem'

Matheus Frizzo está na Toca do Leão há apenas uma semana, mas já pode ganhar a primeira oportunidade com a camisa titular do Vitória. O volante recém-contratado deve começar em campo diante do Sampaio Corrêa, domingo (8), às 16h, no estádio Castelão, em São Luís, no Maranhão, na estreia do segundo turno da Série B do Campeonato Brasileiro. 

O jogador de 22 anos viu a chance ser facilitada após a concorrência no meio-campo despencar para a partida contra a equipe maranhense. Primeiro volante absoluto do time, Guilherme Rend está suspenso. Por ordem médica, outros dois atletas estão vetados, Maykon Douglas, da base, que está lesionado, e Lucas Cândido, que está com um edema na coxa. 

Outros dois jogadores estão recuperados de contusão e em fase final de transição, mas ainda não há uma decisão sobre a disponibilidade deles para o jogo contra o Sampaio Corrêa: Fernando Neto, com menor chance, e Gerson Magrão. Ambos não treinaram com o restante do grupo essa semana.

No momento, Matheus Frizzo e Romisson são os únicos volantes do elenco à disposição do técnico Eduardo Barroca. Nenhum dos dois costuma atuar como primeiro volante, mas Frizzo se prontificou a fazer a função. “O jogador de meio-campo, se ele quiser ter sucesso, tem que ser o mais completo possível. Tenho características ofensivas, mas venho tentando me aprimorar mais ao longo dos treinos e jogos na parte defensiva. Já joguei muitos jogos como primeiro volante, gosto dessa posição e estou à disposição do treinador e do clube”, avisou o recém-contratado durante apresentação oficial realizada na Toca do Leão após o treinamento desta quarta-feira (4).

Matheus Frizzo estava no Atlético-GO, clube pelo qual entrou em campo cinco vezes, nenhuma delas como titular. O volante passou pelas categorias de base do São Paulo e se profissionalizou no Grêmio. Ele conta que na equipe gaúcha atuava de forma mais ofensiva, como meia armador, até chegar ao time sub-23, em 2018. 

“Tive um treinador, Thiago Gomes, da transição, que conversou bastante comigo e viu que eu poderia render mais vindo de trás, jogando como volante, construindo mais o jogo e dando mais volume ao time. No começo, eu não gostei muito da ideia, porque sempre tive características mais ofensivas, gostava de jogar perto do gol”, admite. “Mas, ao longo dos treinos e jogos, ele foi me convencendo e mostrando que tenho capacidade para jogar de volante. Desde então, eu tenho uns dois, três anos que venho atuando na posição, me adaptei bem. Hoje, me vejo jogando no meio-campo, construindo mais o jogo, ajudando mais a equipe na parte ofensiva e defensiva e me sinto bem nessa posição”, pontua.

Se atuar como primeiro volante, Matheus Frizzo vai ocupar a vaga do jogador mais regular do meio-campo rubro-negro. Aos 22 anos, Guilherme Rend entrou em campo 31 vezes. O espaço conquistado pelo companheiro de mesma idade serve de motivação.

“Acredito que hoje, no futebol, não importa muito a idade, é mais o que você produz dentro de campo. Guilherme Rend vem em um bom momento, pude conviver um pouco com ele nesses dias e vejo que é um grande jogador. Vejo que o clube aposta em jogadores mais jovens também, isso nos motiva mais para trabalhar e seguir buscando nossas oportunidades”.

Matheus Frizzo estreou com a camisa vermelha e preta na última sexta-feira (30), durante o empate sem gols com o Brasil de Pelotas, no Barradão. Ele substituiu Lucas Cândido, que se machucou aos 28 minutos do primeiro tempo. “Pude ajudar, a minha intenção foi me dedicar ao máximo no que o treinador pediu. Infelizmente não foi estreia como pensava, porque em todos os clubes que passei procurei ser vencedor. Aqui venho com intuito de vencer. E quando a vitória não acontece, não me satisfaço muito, independentemente da atuação. Então, falando no jogo, gostei sim, mas acredito que tem muita coisa para melhorar”, avaliou.

Diante do Sampaio Corrêa, Matheus Frizzo entrou em campo após apenas dois treinos com o grupo. Com o intervalo de oito dias entre os jogos, o volante diz que está tendo a oportunidade de entender melhor a proposta de jogo do técnico Eduardo Barroca e de se entrosar com os demais jogadores. 

“Desde que cheguei no Vitória, o clube me recebeu muito bem. Tive dois treinos e logo teve o jogo. Essa semana foi importante para acertar algumas coisas dentro de campo. Venho me adaptando ao clube, à ideia de jogo do nosso treinador. E estou me sentindo bem, grupo me acolheu muito bem, está sendo muito produtivo. Eu que vinha de um período sem jogos, sem muito ritmo de jogo, está sendo muito importante para se entrosar mais e dar sequência aos objetivos do time”.

Fonte: Correio