2Clube de Vinhos lança plano para apreciadores iniciantes

A Wine Spanholo lançou mais um plano no WS CLUB, seu clube de assinatura de vinhos. Desta vez a proposta é ideal para iniciantes em busca de qualidade, sabor e custo-benefício. Mais à frente no texto, explico bem o porquê.

Com a modalidade Terroir do WS CLUB, o enófilo em desenvolvimento recebe em casa dois rótulos selecionados pela sommelière soteropolitana Leticia Spanholo. Cada kit custa R$ 89, não requer fidelidade e tem entrega gratuita em Salvador, Lauro de Freitas e Linha Verde (até Guarajuba).

Além dos vinhos, o clube Terroir chega à casa do cliente com outros benefícios: canal virtual aberto com a sommelière, acesso a conteúdos exclusivos, fichas técnicas comentadas de cada rótulo; dicas de harmonizações e 10% de desconto para novas compras no e-commerce Wine Spanholo. 

“Junto com o material também enviamos um ‘mimo’, que pode ser um acessório ou cupom de desconto em negócios de gastronomia da região”, conta Letícia Spanholo. 

Desenvolvendo o paladar de vinhos suaves para secos 

Segundo a especialista, essa opção mais em conta surgiu por demanda dos próprios clientes da Wine Spanholo – que buscavam não somente vinhos descomplicados e fáceis de beber, mas um atendimento mais atencioso. 

Uma demanda que cresce a cada dia com o aumento no consumo de vinhos em todo o Brasil e a chegada de curiosos, que desejam entender mais sobre a bebida. 

Lembro bem de quando comecei a beber vinhos: você tem medo de investir numa garrafa que, no final das contas, talvez nem te agrade; sabe bem pouco sobre taninos ou acidez e só quer mesmo ter prazer ao beber.

Eu, inclusive, jamais saberia àquela época a diferença entre um Pinot Noir jovem de R$ 103,50 ou um Château Mouton Rothschild 1989, de R$ 11.500,00. 

Só que eu queria saber; e sem que ninguém me guiasse, fui saindo aos poucos dos vinhos baratinhos e suaves feitos com adição de açúcar.

Esse passo é importante, pois o adocicado excessivo em alguns vinhos tranquilos impede que a gente saboreie a expressão real da uva, sabe? A gente sente mais o doce e tem uma necessidade de deixar a bebida beeeem gelada, para que não fique enjoativa.

Então sempre que ia aos mercados e adegas, escolhia os meio secos de uvas vitis vinifera. Eles apresentam menor teor de açúcar residual que os suaves e podem ser naturais, feitos de uvas que foram vinificadas mais maduras. São vinhos mais macios, menos enjoativos e até mesmo mais frescos!

Leia mais: 5 dicas de especialistas para quem está começando a tomar vinhos

E por que compartilhei isso com você? A Wine Spanholo tem uma excelente seleção de vinhos com esse perfil. Aproveitei a última segunda-feira chuvosa em Salvador para abrir dois rótulos meio secos vendidos pela empresa: o QTA Já Pias e o Fincas Privadas Malbec.

O primeiro é um tinto português macio, frutado e com corpo leve, que iria bem até mesmo num dia ensolarado. O segundo tem aquela expressão inconfundível de frutas vermelhas e negras beeeem maduras da uva, com certas nuances de especiarias. Um Malbec sem excesso de madeira ou sequer de muito peso em boca, mas fresco e facilmente elegível para acompanhar uma carne de fumeiro, como eu fiz. 

Se você ficou curioso e está nessa transição de suaves para secos, indico sem medo esses dois rótulos e o trabalho da Wine Spanholo na Região Metropolitana de Salvador. Ressalto ainda que os kits não são predefinidos e cada cliente pode escolher os rótulos que deseja receber, bem como a periodicidade. Para mais informações, entre em contato com a empresa neste link. 
 

Fonte: Correio