Primeiro caso com mulher acusada de feminicídio vai a júri popular

O primeiro caso do Brasil de feminicídio de autoria feminina, que aconteceu no Distrito Federal, vai a júri popular. O juiz Germano Oliveira Henrique de Holanda, do Tribunal do Júri de Santa Maria (DF), acatou a denúncia do Ministério Público contra Wanessa Pereira de Souza, acusada de matar a companheira, Taiana Luz da Costa Faria.

A lei que tipifica o feminicídio é de 2015 e até este caso não havia sido aplicada contra uma mulher. A suspeita está presa enquanto aguarda o julgamento, mas poderá recorrer da sentença de pronúncia, segundo o Uol.

Wanessa, de 34 anos, é acusada de atear fogo ao corpo de Tatiana, de 35, em 23 de setembro de 2019, na casa das duas, em Santa Maria (DF). Com 90% do corpo queimado, Tatiana morreu. A própria suspeita sofreu queimaduras em 40% do corpo.

A ré responde por homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, emprego de fogo e feminicídio. O último foi considerado por se tratar de uma vítima mulher, em contexto de violência doméstica, e por existir uma relação íntima de afeto entre ambas.

“Verifico, portanto, após a análise do conjunto probatório acostado aos autos, que os indícios apresentados até o presente momento são razoáveis e suficientes para um juízo de pronúncia”, diz trecho da decisão.

Fonte: Correio