Brasil chega a 162 mil mortes por covid-19 desde o início da pandemia

O Ministério da Saúde teve problemas técnicos que o impediram de obter alguns dados atualizados. Dentre eles, os dados de pessoas recuperadas. Desta forma, os últimos dados a respeito são da última quarta-feira (4), 5.064.344 (90,6%). O ministério também não pôde atualizar os dados de alguns estados, dentre eles São Paulo, o estado mais afetado pelo novo coronavírus no Brasil.

Por meio de nota, o ministério informou que “nesta sexta-feira (6), identificou incidente em páginas web, o que desconfigurou layouts. A questão está sendo tratada pela equipe do DataSUS, e as páginas estão sendo restabelecidas. Não foram afetados os dados nem os servidores da pasta, que estão preservados pelas medidas de segurança adotadas.” 

A pasta também disse que “está revisando todas as camadas de segurança dos sistemas de Informação do Sistema Único de Saúde (SUS), o que pode ocasionar intermitência nos sistemas e na disseminação de informações da saúde durante o fim de semana, com previsão de término até o próximo domingo (8).

O balanço divulgado nesta sexta-feira (6) pelo Ministério da Saúde mostra 18.862 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. Já são 5.631.181 casos acumulados desde o começo da pandemia. Além disso, foram registradas mais 279 mortes, totalizando 162.015.

Covid-19 nos estados
Os dados de São Paulo também não foram atualizados, sendo os últimos números de ontem. Ainda assim, o estado continua muito à frente em número de casos (1.125.936) e mortes (39.717). Os outros estados com maior número de casos no país são Minas Gerais (366.303) e Bahia (361.136).

O Rio de Janeiro, com 20.849 óbitos, é o segundo estado nesse quesito, atrás de São Paulo. Ceará, com 9.393, e Minas Gerais, com 9.199, aparecem na sequência.

Bahia
A Bahia registrou 23 mortes e 2.006 novos casos de covid-19 (taxa de crescimento de +0,6%) em 24h, de acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) no final da tarde desta sexta-feira (6). No mesmo período, 1.776 pacientes foram considerados curados da doença (+0,5%).

Dos 361.136 casos confirmados desde o início da pandemia, 347.207 já são considerados recuperados e 6.175 encontram-se ativos. 

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (25,81%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (8.783,96), Almadina (6.643,48), Itabuna (6.615,61), Madre de Deus (6.504,53) e Aiquara (6.455,24).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 741.178 casos descartados e 85.586 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17h desta sexta.

Na Bahia, 29.380 profissionais da saúde foram confirmados para covid-19. 

Óbitos
O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 23 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da covid-19. 

Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 7.754, representando uma letalidade de 2,15%. 

Perfis
Dentre os óbitos, 56,13% ocorreram no sexo masculino e 43,87% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,29% corresponderam a parda, seguidos por branca com 18,03%, preta com 15,05%, amarela com 0,75%, indígena com 0,10% e não há informação em 11,77% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 71,99%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (74,56%).

A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Fonte: Correio