Estudantes criam projeto de caixa tecnológica para realizar a desinfecção de alimentos

Você já imaginou a possibilidade de colocar todas as suas compras num recipiente capaz de realizar a desinfecção de alimentos, roupas, papéis e toda sorte de material? Esquecendo todo aquele trabalho de aspergir álcool a 70% ou ainda o trabalho de limpar tudo com água e sabão…

Não? Mais que um sonho, a possibilidade dessa tecnologia estar disponível dentro de pouco tempo é grande. O chamado Clear Box foi o projeto vencedor do Desafio Empreendedor Cimatec, um concurso realizado pelo Senai-Cimatec, entre o projeto de 60 estudantes os três melhores.

Os resultados foram anunciados no início da tarde do sábado (07)  e, além do Clear Box, foram selecionados os projetos Gaia e o Play Dog. O primeiro ofereceu soluções de construções sustentáveis para um universo que precisa se livrar dos danos do desperdício e dos danos ambientais da construção civil e o segundo construiu uma plataforma de estrutura e serviços para animais de estimação em condomínios.

Solução para o cotidiano

De acordo com um dos membros da equipe vencedora, Daniel Oliveira, 18, estudante de engenharia civil, a ideia surgiu de uma realidade observada no dia a dia, quando o jovem percebeu os esforços exigidos para a prevenção da COVID-19 em casa. “Vejo minha mãe preocupada em limpar tudo o que chega da rua e o tempo gasto com isso e pensei que esse equipamento projeto com lâmpadas UVC seriam úteis em tempos de pandemia e depois para outras estruturas que necessitem de higienização mais rápida e eficaz”, conta. 

A ideia de criar o protótipo surgiu do cotiadiano de Daniel Oliveira, 18, que percebia o tempo gasto para higienizar as comprars e produtos que chegavam na portaria do próprio prédio (Foto: arquivo pessoal)

Segundo o estudante, o projeto inicial era voltado para elevadores, mas a equipe percebeu que uma caixa nas portarias teria mais utilidade, pois nem todas as construções possuem elevadores e que o Clean Box teria a possibilidade de higienizar volumes semelhantes a uma mala de viagem. “Percebemos que assim alcançaríamos um universo maior de limpeza”, completa.

Foto: Divulgação

 O próximo passo da equipe ganhadora é transformar a proposta num projeto de negócios e ampliar o uso para outros produtos. “Percebemos que o projeto é capaz de fazer a desinfecção por 95 mil vezes antes que as luzes precisem ser trocadas”, completa Daniel.

Inovação educacional

Exultante com os resultados dessa edição, o gerente executivo do Senai Cimatec Flávio Marinho diz que a proposta foi desenvolvido em três meses, em situações muito atípicas próprias da pandemia, mas que o retorno em termos de desenvolvimento de propostas foi tão positivo que o sistema transformará o concurso em disciplina regular. “Nesse primeiro momento, o projeto foi desenvolvido apenas com os estudantes de engenharia civil, produção e arquitetura. Queremos que os demais também possam expressar suas ideias e reforçar o primeiro contato com a cultura do empreendedorismo”, completou. 

Vale salientar que a escolha dos projetos vencedores foi feito por um júri técnico e o júri popular. “A proposta foi o primeiro contato desses jovens com o universo do empreendedorismo, mas a nossa proposta é incentivá-los de modo que eles também possam desenvolver, além da formação técnica, os perfis profissionais de gestores, pesquisadores e empreendedores”, finalizou Flávio.

O Desafio foi pauta do Fórum Agenda Bahia 2020, que é uma realização do CORREIO, com patrocínio do Hapvida, parceria do Sebrae, apoio da Claro e Sistema FIEB e apoio institucional da Rede Bahia.
 

Fonte: Correio