Motorista atropela e mata pesquisadora de mobilidade urbana

Um motorista atropelou e matou uma ciclista na madrugada deste domingo (8) na avenida Paulo VI, na zona oeste de São Paulo, e fugiu sem prestar socorro. A cena foi presenciada por uma policial militar de folga, que viu quando um veículo Hyundai Tucson da cor prata, com placa de Campinas, fugiu do local do acidente. Marina Kohler Harkot, 28, não resistiu ao atropelamento e morreu no local. O caso foi registrado no 14º Distrito Policial (Pinheiros).

Cicloativista, feminista e pesquisadora de mobilidade urbana, Harkot tinha a bicicleta como seu principal meio de locomoção. Em 2018, obteve o título de mestre pela Universidade de São Paulo, com a dissertação “A bicicleta e as mulheres: mobilidade ativa, gênero e desigualdades socioterritoriais em São Paulo”.
Ela também foi coordenadora da Ciclocidade (Associação de Ciclistas Urbanos de SP), deu aulas na Escola da Cidade e foi consultora de projetos no Banco Mundial, além de ter feito parte do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte.
De janeiro a setembro deste ano, 567 pessoas foram mortas no trânsito na cidade de São Paulo, segundo informações do Infosiga, do governo paulista. Desse total, 24 eram ciclistas.

 

 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Prezadas e prezados, É com pesar imenso que a Ciclocidade informa que Marina Harkot, amiga próxima, pesquisadora e ativista da bicicleta, faleceu nessa madrugada, mais uma vítima do violento trânsito da cidade de São Paulo. Neste momento, os familiares estão a caminho do apartamento que Marina dividia com seu namorado, Felipe, onde estão também amigas e amigos próximos. Estamos em busca de mais informações sobre os próximos passos e em breve avisaremos por aqui. Que o sorriso e a garra e Marina esteja com todes neste momento de luto. Até lá, fiquem bem.

Uma publicação compartilhada por Ciclocidade (@ciclocidade) em 8 de Nov, 2020 às 8:05 PST

Fonte: Agencia Brasil