Ateliê Casalinda traz frescor e transparência para o dendê do AFD 2020

Criada em 2015, a Ateliê Casalinda nasceu através do sonho que a jornalista Kivia Souza nutria desde criança de trabalhar com moda. Ela conta que a presença da máquina de costura em casa desenvolveu nela o desejo de sentar diante da ferramenta e pilotar. “Aprendi sozinha a mexer nela. Mas o sonho acabou ficando pra depois. Após 15 anos, já formada em Jornalismo e trabalhando na área, decidi testar como estava aquele sonho fazendo um curso de Modelagem do Vestuário no Senai. Não deu outra. Me apaixonei por todo aquele universo”, afirma.

A marca, que traz um estilo multicolorido e descontraído, em roupas para quem gosta de vestir um astral cheio de energia, com leveza e conforto, começou operando através da venda direta com o cliente, após contato pelas redes sociais. “Mas desde o ano passado (2019), todas as produções criadas no Ateliê Casalinda são vendidas no e-commerce Coque Abacaxi Loja”, conta Kivia.[

Segundo a estilista, a pandemia afetou a marca diretamente. As vendas de roupa foram suspensas por um período longo. Para não cessar as atividades, ela passou a produzir máscaras de tecido. “Nunca produzimos tanto quanto nesta pandemia. No início, conseguimos aderir ao movimento de upcycling, utilizando como matéria prima retalhos de tecidos do próprio ateliê e do projeto ReFarm, com tecidos originais da marca carioca Farm. Mas a procura foi bem maior. Tivemos que investir em muito tecido e elástico pra atender à demanda”, relata.

Porta de entrada para Ateliê no mundo da moda, Kivia reconhece que o AFD foi um divisor de águas para a marca. “Participar deste evento nos colocou no mundo fashion. Oportunidade que poderia nunca ter acontecido para uma marca tão recente e em processo de criação. Começar ao lado de outras grandes marcas locais, estar num evento que reverência o negro e valoriza nossa beleza é recompensador”, avalia.

Na edição 2020 do AFD, Kivia vê no tema do evento a oportunidade de fazer uma ligação direta da sua criação com o lugar que mais ama, a Bahia. “Tema sensacional. Me inspirar no dendê não poderia ser mais incrível. Minha inspiração para o look deste ano vem da cor do dendê quente, pronto pra fritar o acarajé, e na roupa bordada da baiana, incluindo um shape fresco, super feminino, com uma pitada de transparência e volume”, diz.

Conheça mais sobre o criador: @ateliecasalinda

Afro Fashion Day 2020
Criado em 2015 pelo jornal CORREIO, o Afro Fashion Day celebra todos os anos o mês da Consciência Negra exaltando o talendo dos modelos negros e a criatividade das marcas baianas. Com a pandemia do novo coronavírus, a edição de 2020 passou por mudanças em seu formato. No lugar do desfile tradicional, foi produzido um fashion film estrelado pelos 31 modelos e 37 marcas que integram o AFD nesta temporada. O lançamento será em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, no Youtube do veículo de comunicação.

O Afro Fashion Day é um projeto do Jornal CORREIO com o patrocínio do Hapvida e a parceria do Sebrae.

Fonte: Correio