Homem morre ao reagir a assalto em Itapuã

Uma tentativa de assalto resultou na morte de Marcelo Esteves Medrado Borges, 33 anos, com um tiro nas costas, na noite do último domingo (8), no bairro de Itapuã, em Salvador. O crime aconteceu em plena via pública na Rua Vinícius de Moraes, Pedra do Sal, por volta das 21h. O corpo foi enterrado na tarde de segunda-feira (9), no cemitério Jardim da Saudade.

Segundo informações de familiares, a vítima estava saindo da casa de um conhecido, na companhia da namorada, quando dois homens em uma moto abordaram o casal e exigiram a bolsa da moça. Como Marcelo não aceitou o pedido e seguiu andando, um dos assaltantes disparou contra suas costas. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e constatou que o homem não resistiu aos ferimentos.  

De acordo com a Polícia Militar, uma guarnição da 15ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Itapuã) foi solicitada pelo Centro Integrado de Comunicações (Cicom) com a informação de um homem ferido por arma de fogo. A namorada deu depoimento à guarnição, mas nenhum suspeito foi encontrado. Câmeras de segurança que poderiam ajudar na identificação dos assaltantes fazem parte de um shopping em construção e estavam desativadas.

A vítima, que é moradora do Alphaville, se encontrava hospedada em um hotel no bairro. Conforme relatado por Bianca Medrado, prima de Marcelo, as abordagens de assalto através de motociclistas são recorrentes em Itapuã. “Eu moro aqui em Praia do Flamengo e isso é uma tristeza. Essa é uma área extremamente desassistida, a delegacia não presta para nada. Essas motos são terríveis aqui. Quando eu vejo uma, já fico assustada”, contou.

Um grupo de WhatsApp chegou a ser criado pela 15ª CIPM/Itapuã, em 2016, e reunia moradores do bairro e o comandante da PM da área, na época, Major Marcelo Franco. O aplicativo era utilizado como forma de relatar ações suspeitas e, assim, conseguir uma resposta mais rápida da polícia ou evitar um problema. Até a conclusão desta matéria não obtivemos resposta sobre a situação do grupo com o atual comandante da 15ª CIPM, tenente coronel Eurico Silva Costa Filho. 

O caso de Marcelo será apurado como latrocínio pela 1ª Delegacia de Homicídios/Atlântico. Segundo a Polícia Civil, imagens da câmera de outro estabelecimento serão solicitadas. 

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro. 

Fonte: Correio